Header Ads

ZPE do Ceará entre as mais relevantes do mundo em 2016

A possibilidade de expansão da área do equipamento
cearense, capaz de ser estendida por 21 milhões
de m², foi uma das características que deixaram a ZPE
entre os destaques quando o critério é o porte
das empresas.FOTO: Fernanda Siebra
O portfólio apresentado pelo governo cearense a investidores nacionais e internacionais ganhou algumas valiosas páginas desde que a edição outubro/novembro da revista Foreign Direct Investment (FDI) - publicação do jornal britânico Financial Times - acrescentou a Zona de Processamento (ZPE) do Ceará na lista das de maior relevância no mundo em 2016.

"É o reconhecimento de um trabalho de vários governos com o desenvolvimento do Ceará. É a prova de que estamos ganhando competitividade para atrair os grandes negócios globais", comemorou a titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), Nicolle Barbosa.

De acordo com a análise da secretária, a relevância da publicação alça o Ceará à uma vitrine que jamais teve acesso antes, e que "vai abrir os olhos dos investidores do exterior", pois "é uma realidade comprovada de tudo já falado sobre o nosso estado". Nicolle refere-se às características destacadas por todos os trabalhos do governo estadual e que foram mencionados como potencialidades da ZPE do Ceará na revista.

Características

A capacidade de expansão da área do equipamento cearense, capaz de ser estendida por 21 milhões de metros quadrados, foi uma das características responsáveis por deixar a ZPE do Ceará entre os destaques mundiais quando o critério é o porte das empresas instaladas. Além disso, a FDI ainda menciona a capacidade do Porto do Pecém de receber os navios Pós-Panamex (embarcações cujo tamanho excedem os 289 metros de comprimento, 32,3 metros de largura e 12 metros de profundidade). A facilidade no transporte de carvão e petróleo pelas correias transportadoras também é apontada pela publicação como potencialidade da área de livre comércio.

"A expansão do nosso porto foi pensada de forma totalmente estratégica. O governo investiu cerca de R$ 1 bilhão com a segunda ponte, os novos berços e a segunda correia transportadora", ressalta Nicolle Barbosa sobre os esforços do governo e lembrando sobre o interesse de tornar o Porto do Pecém como um hub de cargas vindas do exterior no Nordeste e até para o País, com a infraestrutura de rodovias conectadas ao Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), além da promessa da ferrovia Transnordestina.

Ela compara ainda a área cearense à Zona Franca de Manaus que, apesar de todo o tempo de funcionamento, nunca obteve um reconhecimento com esta credibilidade. O Centro de Treinamento Técnico do Ceará (CTTC) também mereceu referência na revista britânica, uma vez que a ZPE do Ceará figura entre as que proporcionam e/ou investem em espaços de treinamento e capacitação próximo às ZPE´s.

Primeira indústria instalada na Zona de Processamento e o maior investimento já realizado no Ceará, a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), teve menção na publicação, que destacou a capacidade de expansão dos atuais 5,3 milhões de metros quadrados para 9,85 milhões de metros quadrados, além de duplicar a capacidade de produção de placas de aço.

´Superviáveis´

A menção a tantos equipamentos desenvolvidos pelo governo cearense e a empresas instaladas, como a CSP, cuja captação é resultado dos trabalhos desempenhados pelo Executivo estadual são interpretados pela secretária de Desenvolvimento Econômico como comprovação de sucesso do plano de desenvolvimento do Estado.

"Ficamos muito felizes porque é um reconhecimento dessa credibilidade, que é a revista, demonstra que o que temos propagado para os investidores interessados no Ceará é verdade", declara Nicolle.

"Essa publicação vem chancelar todo o potencial do Complexo do Pecém, e isso ainda mostra que nossos equipamentos já estão em funcionamento e são superviáveis", finaliza Nicolle.                  (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.