Header Ads

Bebê de 3 meses é a paciente mais jovem a receber novo coração no Ceará

Natural de Paraú, no Rio Grande do Norte, Ariely foi
transferida para o Ceará um dia após o parto.
O transplante de coração pediátrico apresenta mais complicações que o adulto. Segundo os cardiopediatras, o coração ideal para uma criança é de outra com a mesma idade, peso, estatura e tipo sanguíneo. Contrariando essas dificuldades, a bebê Ariely Vitória, de apenas três meses de idade, recebeu um novo coração no mês passado, no Hospital Dr. Carlos Alberto Studart, em Messejana. Ela foi a criança mais jovem a receber o órgão na unidade.

O coração doado chegou à unidade por volta das 19h30 do dia 22 de outubro. O procedimento cirúrgico terminou às 23h, sem complicações. “O médico disse que ela era muito saudável e que o coração também era muito saudável, então ele conseguiu acompanhar o ritmo dela rapidamente. Disseram que talvez precisasse ligá-la a uma máquina, mas não foi preciso”, conta a irmã, Kezia Herculano.

Como o próprio nome, foi uma vitória para a menina que, desde que nasceu, está internada na UTI pediátrica do Hospital. Natural de Paraú, no Rio Grande do Norte, Ariely foi transferida para o Ceará um dia após o parto. Por outro lado, a irmã gêmea dela, Adriely, nasceu sem complicações de saúde e está sob os cuidados de uma tia na cidade natal.

Segundo Kezia, Ariely só sobreviveu porque recebia medicamentos para forçar o coração a bater. “Os médicos disseram que somente um milagre poderia salvá-la”, explica. Há um mês, a esperança chegou quando a família foi informada que um coração totalmente compatível havia sido encontrado. Contudo, assim também veio a frustração, quando a família doadora voltou atrás.

Na manhã do dia do transplante, a mãe de Ariely, Mirian Rocha, recebeu a notícia de que um novo coração havia sido encontrado. Kezia se emociona. “Ficamos muito felizes, mas sabemos que nossa felicidade é fruto da dor da outra família. Não é uma decisão fácil. Da mesma forma que pedimos a Deus pela cura da Ariely, pedimos força para a outra família que perdeu uma criança”.

Fila

De acordo com a enfermeira do ambulatório do transplante cardíaco pediátrico do Hospital do Coração, Silvânia Braga, o quadro de saúde de Ariely ainda inspira cuidados devido à idade da menina. Com a cirurgia dela, a unidade contabiliza cinco transplantes cardíacos pediátricos somente em 2016. No ano passado, foram realizados apenas dois procedimentos do mesmo tipo. O total faz parte dos 29 transplantes de coração já realizados pelo Hospital de Messejana, até a última quinta-feira (17).                              (Diário do Nordeste)                                                            Principal

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.