Header Ads

Preço da gasolina segue inalterado

As mudanças nos preços da gasolina e do diesel repassados às refinarias anunciada na terça-feira (8) pela Petrobras ainda não faz parte da realidade do consumidor fortalezense. Na última quarta-feira (9), a reportagem havia visitado seis postos da Capital para conferir os preços da gasolina, diesel e etanol, que em geral, não apresentaram redução nas bombas. Na sexta-feira a situação dos valores nos postos de combustíveis era a mesma.
Novamente, o menor preço para a gasolina foi encontrado no Posto Bela Vista (bandeira Shell), no cruzamento entre a Avenida Barão de Studart e Rua Júlio Siqueira. Enquanto lá o combustível estava custando R$ 3,67, em outros postos pesquisados variava entre R$ 3,69 e R$ 3,79. No mesmo local também foram encontrados o diesel e o etanol mais baratos: R$ 3,06 e R$ 2,99, respectivamente.
Na última semana, a Petrobras realizou a segunda redução em menos de um mês nos preços da gasolina, que teve corte de 3,1%, e do diesel, cuja queda foi de 10,4%. Caso seja repassada integralmente ao consumidor, ele deve pagar R$ 0,05 a menos pelo litro da gasolina e R$ 0,20 a menos pelo litro do diesel.
Questionado sobre a previsão de chegada da nova decisão da Petrobras até às bombas de combustíveis da Capital cearense, o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais do Estado do Ceará (Sindipostos-CE) disse na sexta-feira que não irá se pronunciar sobre o assunto.
De acordo com o levantamento semanal sobre os preços dos combustíveis nos postos de Fortaleza feito pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), o preço médio da gasolina entre os dias 6 e 12 deste mês está em R$ 3,73. Para o etanol, o valor é de R$ 3,14. A pesquisa para o diesel S-10 aponta média de R$ 3,21 dentro do período.
Novas reduções
Na última semana, durante entrevista para explicar a mudança da Petrobras, o diretor de Refino e Gás da estatal, Jorge Celestino, não descartou a possibilidade de novas reduções nos preços dos combustíveis repassados às refinarias, caso as cotações do mercado internacional continuem em queda. A avaliação é feita mensalmente pela petrolífera.               (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.