Header Ads

Centro de Eventos do Ceará deve render R$ 180 milhões com concessão

O Centro de Eventos do Cariri também deve
ser concedido à iniciativa privada.
Com uma receita de pouco mais de R$ 10 milhões em 2015, o Centro de Eventos do Ceará deve ser concedido à iniciativa privada, juntamente com o Centro de Eventos do Cariri, por um valor em torno de R$ 180 milhões, segundo postou nas redes sociais o titular da Secretaria de Turismo (Setur), Arialdo Pinho. Segundo o secretário, para os 30 anos de concessão dos dois equipamentos, 10% do valor seria pago na assinatura do contrato entre o Estado e a empresa vencedora, com um ano de carência. Ainda de acordo com o secretário, da verba arrecadada pelo governo cearense pelos ativos, 15% será destinado ao Fundo de Turismo do Ceará.

No ano passado, o Centro de Eventos do Ceará recebeu 125 eventos, com um público total de 804 mil pessoas, o que gerou uma receita de R$10.096.621,51. Neste ano, foram 121 eventos, com um público de 644 mil pessoas (a receita de 2016 ainda não foi divulgada). E para 2017 já estão agendados 72 eventos, segundo informou a Secretaria do Turismo do Estado (Setur). Desde julho de 2012, já foram realizados 519 eventos no empreendimento, com um público total de 4,36 milhões de pessoas. A receita total entre julho de 2012 até o final de 2015 foi de R$ 31,5 milhões.

Acquario Ceará

Na quinta-feira (22), foram aprovados, na Assembleia Legislativa, os projetos que estabelecem as regras para os contratos de concessão de ativos do Governo do Estado, entre os quais também está incluído o Acquario Ceará. Segundo postou Arialdo, "o mercado avalia que o valor dos equipamentos em concessão de 30 anos ficaria entre R$ 150 milhões e R$ 250 milhões". E até março de 2017 o Estado estará desenvolvendo estudos para estimar o valor de concessão para o Acquario.

Com 75% das obras de infraestrutura concluídas e 30% dos equipamentos instalados, o Acquario deve ficar pronto em 2018, segundo o Governo do Estado. Desde o início das obras, em 2012, já foram investidos US$ 43 milhões no empreendimento. "Os 25% restantes, que também incluem a Praça das Águas, serão finalizados após o término da licitação, que encontra-se na Fase de Habilitação. Concluída essa fase, resta apenas a publicação no Diário Oficial", disse em nota a Setur.

Com o Acquario, o Governo espera aumentar a captação de turistas, alongando o período de estadia bem como os gastos dos visitantes no mercado local. A expectativa é de que o equipamento receba cerca de 1,2 milhão de visitantes por ano.

Pacote

Em agosto, o governador Camilo Santana apresentou o estudo técnico "Capturando o Pleno Potencial dos Ativos de Infraestrutura do Ceará", elaborado pela consultoria McKinsey & Company, no qual estão as principais informações sobre os dez equipamentos públicos que serão oferecidos à iniciativa privada. A estimativa é que os ativos estão avaliados em, no mínimo, R$ 7 bilhões, excluindo o Porto do Pecém, empreendimento considerado mais atrativo economicamente para o Estado.

A relação de ativos inclui o Centro de Eventos do Ceará, Porto do Pecém, Cinturão Digital, CE-040 e placas solares e terrenos, todos considerados viáveis. A Central de Abastecimento do Ceará (Ceasa), que só seria viável se houver otimização de custos e revisão das tarifas. A Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), que seria possivelmente atrativo, caso o Estado realize os investimentos necessários. E o Acquario Ceará e o Centro de Formação Olímpica, que foram os únicos considerados possivelmente não viáveis economicamente.

Segundo o estudo, os diferentes ativos demandam esforços comerciais diferentes. Além de serem apresentados em roadshows nacionais, os únicos que deverão ser divulgados fora do Brasil são o Porto do Pecém, Acquario, Metrofor e os terrenos.                (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.