Header Ads

Produção da Madonna convida cratense para projeto na África

O passaporte já está pronto há alguns dias. O talento, há anos. É com este “material” inicial que o artista cratense Wanderson Pereira Cavalcante, conhecido como Wanderson Petrova, embarca para a África ainda neste mês de janeiro. Ele foi o brasileiro selecionado pela Organização Não Governamental Raising Malawi para pintar murais em um hospital pediátrico. A ONG foi fundada por Madonna no ano de 2006 e, desde então, ajudou milhares de crianças com a construção de centros de saúde, escolas, creches e programação de prevenção de doenças.

Como explicou Wanderson, a participação na iniciativa social partiu de um convite da equipe que auxilia no projeto da cantora, conhecida mundialmente por ser a rainha do pop. Desde então, foi preciso apresentar material e firmar comprometimento em levar sua arte para eternizá-la no hospital. No primeiro contato, apenas um mural seria feito pelo artista. Agora, serão quatro, no mínimo. A partida está prevista para o mês de janeiro e, até o mês posterior, as obras devem ser finalizadas.

A ação, segundo Wanderson, ainda parece um sonho. “É gratificante que, sem pisar em ninguém ou sem usar de outras artimanhas, burlar o processo ou pular etapas, as minhas coisas estão fluindo”, afirma, orgulhoso, o jovem artista visual. Fã declarado de Madonna, ele viu seu nome tomar proporções internacionais quando a cantora postou elogios ao seu trabalho, feito em homenagem ao álbum “Rebel Heart”, nas redes sociais.

Desde o reconhecimento de Madonna, Wanderson viu sua legião de admiradores aumentar e já apresentou seu trabalho até mesmo no exterior. Atualmente, lançou a exposição “Sou Frida e não me Kahlo”, que teve seu desenvolvimento a partir do processo de vivência, por três anos, com um grupo de mulheres do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) do Crato. Na exposição, instalada no Museu do Crato, as fotos das integrantes do grupo e algumas pinturas com suas silhuetas são alguns dos elementos que remetem à força e empoderamento feminino.

Outro trabalho recente foi uma obra que homenageia o artista Abidoral Jamacaru. Para 2017, com seu retorno ao Brasil após sua viagem ao Malawi, Wanderson planeja fazer performances de rua, onde as pessoas poderão interagir com o processo. A perspectiva é que esse projeto tenha início entre os meses de março e abril.                  (Jornal do Cariri)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.