Header Ads

Crise econômica aumenta procura por escolas públicas na região do Cariri

Com a crise econômica, muitas famílias tiveram que cortar gastos e alguns pais foram obrigados a transferir os filhos da rede de ensino particular para a rede pública. Segundo dados da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), este ano, as escolas particulares devem perder cerca de 10% das matrículas, praticamente a mesma porcentagem registrada no ano passado. Prevendo um crescimento na procura por matrículas na rede pública, vários municípios ampliaram o quadro de vagas, tanto no ensino municipal como no estadual.

Com o orçamento apertado, a técnica em enfermagem Maria Lúcia Lopes foi obrigada a tirar os dois filhos da rede privada de ensino. “Eu e o meu esposo tivemos que cortar vários gastos e um deles foi a escola dos meninos. Filipe eu coloquei numa escola de ensino regular e Mateus está em uma escola de ensino profissionalizante. No próximo ano, tentarei colocar o mais novo em uma instituição que ofereça ensino em tempo integral. Vou ficar sempre acompanhando eles e espero que essa mudança não traga prejuízos. A gente sabe que na escola particular o ritmo é mais puxado, mas espero que dê tudo certo”, relata Maria Lúcia.

Juazeiro do Norte, que atualmente conta 95 escolas municipais, ofertará cerca de 35 mil vagas em 2017, mas a meta da nova secretária de Educação é de que, até 2020, este número seja ampliado para 40 mil. A rede estadual de Juazeiro conta, hoje, com 14 escolas que ofertam 11.773 vagas. Barbalha não informou o número de vagas na rede municipal, já na estadual, o Município conta com quatro escolas que, juntas, ofertam 2.508 vagas. Crato possui 66 escolas municipais e oferta mais de 18 mil vagas este ano. Na rede estadual, as 14 escolas ofertam cerca de sete mil vagas.

De acordo com a coordenadora da Crede 18, Luciana Brito, as escolas profissionalizantes e de tempo integral tem sido bastante requisitadas. “Muitos pais têm procurado as instituições que ofertam tempo integral e ensino profissionalizante por acreditarem que os filhos terão um melhor preparo. Infelizmente, nessas escolas, as vagas já estão praticamente todas preenchidas. Boa parte delas, inclusive, realiza seleção como processo para admissão de alunos. Quem deixou para matricular o filho de última hora, provavelmente, terá que recorrer as escolas de ensino regular, que também são de excelente qualidade”, finaliza.                    (Jornal do Cariri)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.