Header Ads

Ceará registra 14 surtos de DTA

As infecções são causadas pela
ingestão de alimentos ou água
contaminados. FOTO: Agência Diário
Entre janeiro e março deste ano, o Ceará registrou 14 surtos das chamadas Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs), infecções causadas pela ingestão de alimentos ou água contaminados por bactérias, fungos, vírus e outros parasitas. Os dados são do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), responsável pela realização de análises em amostras com risco de presença de microrganismos e a notificação de casos suspeitos. O surto caracteriza-se pela ocorrência de dois ou mais casos de DTA a partir do consumo de alimentos ou água de mesma origem.
De acordo com o Lacen, nos três primeiros meses do ano, foram analisadas 642 amostras com sinais de contaminação e notificadas 33 suspeitas de surto de DTA. Fatores como a falta de higienização e a má conservação de alimentos são algumas das principais causas de infecção. A ocorrência de chuvas, conforme o Laboratório, também favorece a proliferação de bactérias.
Segundo o Ministério da Saúde, existem hoje mais de 250 tipos de Doenças Transmitidas por Alimentos. A maioria das infecções é provocada por bactérias, em especial as dos gêneros Salmonella e Escherichia coli. Dentre os sintomas frequentes das DTA, estão falta de apetite, náusea, vômito, diarreia, dores abdominais e, em alguns casos, febre. Manifestações mais graves das doenças incluem infecções em diferentes órgãos e sistemas, como no fígado e em terminações nervosas periféricas.
Conforme o Ministério, o tratamento para as DTA depende do tipo de microrganismo causador da doença. No entanto, o órgão destaca que a reposição de líquidos é necessária em todos os casos. Nas ocorrências com registro de diarreia aguda, a recomendação é a ingestão de soluções para reidratação.
Prevenção
Como forma de prevenção contra as DTA, o Lacen orienta que frutas e verduras sejam lavadas antes da ingestão e que a população faça a higienização das mãos antes do preparo de qualquer alimento. Outra recomendação é não misturar alimentos crus e cozidos, assim como os utensílios usados em cada tipo de preparo. Alimentos perecíveis devem ser armazenados na geladeira ou no freezer, da mesma forma que sobras de comidas. Por mim, o órgão aconselha não guardar alimentos e produtos de limpeza no mesmo local.           (Diário do Nordeste)                                 Principal

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.