Header Ads

Distrito de Santa Fé em Crato tem problemas com o transporte escolar

Distrito de Santa Fé aguarda regularização do transporte
escolar. FOTO: Serena Morais - Jornal do Cariri
No Crato, a comunidade escolar do Distrito de Santa Fé cobra a regularização do veículo que transporta os alunos daquela localidade à escola. De acordo com a secretária de Educação do Município, Otonite Cortez, a situação deve ser regularizada em breve, já que o pregão para a contratação da empresa responsável pela manutenção da frota própria ocorre no próximo dia 17.

De acordo com a secretária, problemas nos pneus, na parte elétrica ou mecânica dos transportes escolares são comuns, principalmente pela topografia do município que desgasta os carros. Aliado a isso, a titular ressalta que sequer havia um transporte reserva para substituir aqueles veículos que, porventura, apresentassem danos.

Outro problema relatado por ela envolve a herança dos contratos com duas prestadoras de serviços de transporte para suplementar a frota própria. Desde 2013, eles eram aditivados, mesmo apresentando problemas na cobertura de oferta por transporte no Município. No entanto, neste mês, uma nova licitação deve contratar veículos para 104 rotas.

“Como a frota própria não é nova, ela precisa de manutenção. A licitação para isso está marcada para o próximo 17 de maio. A demora para se realizar o pregão foi porque as empresas não demonstraram interesse em cotar, sendo a consulta de preços etapa obrigatória em qualquer processo licitatório. Já a parte da licitação para a compra de pneu já foi feita, inclusive para o transporte escolar da Santa Fé, que está sem circular por isso”, explica a secretária.

Otonite enfatiza que a Administração não está alheia à situação e, apesar das dificuldades deixadas pelas gestões passadas, o transporte escolar tem sido priorizado na gestão de Zé Ailton Brasil.

Robério Alves, que compõem a Coordenadoria da Administração Financeira, também ressalta que, mesmo regularizando a situação, há riscos de problemas reaparecerem por conta do desgaste comum que os veículos sofrem. No entanto, ele salienta que um ônibus adquirido com recursos do FNDE deve chegar até em junho, e outro será comprado pela Administração, como forma de mitigar os problemas. “Estamos, de forma inédita, criando uma reserva na frota para impedir trechos fiquem sem carros”, acrescenta.

Na comunidade, pais, alunos e lideranças políticas lamentam a falta de transporte escolar. Dona Alice Silva lembra que não é só a falta de transporte para levar sua filha à escola que a preocupa, mas o tipo e a qualidade. “Pedimos a regularização do carro pra nossa comunidade, mas que ele seja seguro, porque são vidas que estão em jogo”, conclui.            (Jornal do Cariri)


Principal

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.