Header Ads

Parado há quase um ano, trecho do Eixo Norte da Transposição tem obras retomadas

Helder Barbalho e Camilo Santana visitaram o canteiros
das obras em Penaforte, na região do Cariri. FOTO: André Costa

Penaforte. O governador do Estado Camilo Santana, e o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, e visitaram na tarde de ontem (07) as obras do Eixo Norte, da Transposição do Rio São Francisco, neste Município, na região do Cariri cearense, divisa com o estado do Pernambuco. O trecho estava há quase um ano em total inércia e, teve os trabalhos recomeçados no último dia 03, depois da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, suspender a decisão judicial imposta pelo desembargador federal Souza Prudente, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), que impedia a continuidade das obras da transposição.
O chefe do executivo destacou a importância da retomada das obras para a segurança hídrica do Estado e ressaltou que o prazo de conclusão para o Eixo Norte, inicialmente previsto para doze meses, deve ser reduzido consideravelmente. “Essa é sem dúvida a obra mais importante em andamento em todo o país. Ao ser concluída, trará água para milhões de pessoas de vários estados e mais segurança hídrica, sem que fiquemos totalmente reféns somente do inverno, que há cinco anos está aquém da média histórica, com exceção deste ano, que choveu bem, apesar de não ter sido suficiente para recarregar os reservatórios. Justamente por essa importância, vamos tentar acelerar o máximo possível a conclusão desse trecho, esperamos que até o final do ano, o canal já esteja apto a receber as águas”, disse.
Helder Barbalho assegurou que os governos Federais e Estaduais estão unidos com o único objetivo de concluir, por total, as obras de todos os eixos até o final do próximo ano e assegurou que os recursos estão garantidos. “Vamos trabalhar duro para concluir essa obra. Nunca antes foi feito nada dessa magnitude em relação a segurança hídrica do país. Estamos em constante conversa com o novo consórcio para que, se preciso, os trabalhos sejam realizados em finais de semanas e feriados. A ordem é cumprir todos os prazos estabelecidos”, pontuou. O Ministro destacou ainda que, a obra movimenta a economia das regiões por onde o canal passará.
De acordo com o Deputado Raimundo Gomes de Matos, presidente da Comissão Especial para acompanhar e monitorar o andamento das obras do Velho Chico, “as visitas estão sendo realizadas com periodicidade, tanto nas obras da Transposição, quando no Cinturão das Águas e, o que podemos dizer, com o que tem sido visto, é que os prazos têm tudo para serem cumpridos, caso não ocorra mais nenhum imprevisto judicial. O mais importante, que são os recursos, já estão garantidos”, destacou.
Expectativa é concluir o trecho até o final
deste ano. FOTO: André Costa
Economia
Orlivan Gabriel Silva, gerente da Emsa, empresa que ficará responsável por dá continuidade aos serviços deixados pela empresa Mendes Júnior, no eixo norte, num trecho de 146 quilômetros que corta cidades do Pernambuco e Ceará, afirmou que, no pico da obra, serão mais de duas mil contratações. “Aqui é apenas o início, em cerca de 90 dias deveremos atingir o pico dos trabalhos, com milhares de empregos diretos e outros tantos indiretos. São trabalhadores de várias cidades e, o deslocamento até o canteiro de obra, movimenta outros setores, como o comércio, por exemplo”, explicou.
Francildo Tavares dos Santos foi um dos contratados pelo consórcio. Desempregado há mais de um ano, ele conta que “a contratação será abraçada com unhas e dentes”. “Vou conseguir ajudar no sustento de casa e já posso até fazer outros planos”, acrescentou o operário natural da cidade de Salgueiro. Em situação semelhante, Mirivaldo da Silva Piancó, estava parado há sete meses e, segundo ele, já planejada se mudar para o Sudeste. “É muito complicado ficar sem trabalhar. Se não conseguisse nada, ia embora para São Paulo em busca de trabalho. Só que apareceu a oportunidade de trabalhar e ficar perto da família e agora os planos mudaram. Estou muito feliz”, conta.
Segundo a empresa, as contratações ainda não foram encerradas. “Estamos sim recebendo currículo, devemos seguir nesse processo até os próximos dias”, destacou Orlivan. Em apenas quatro dias da semana passada, a Emsa recebeu mais de 15 mil currículos. Os candidatos que não puderem comparecer a base do consórcio, em Salgueiro, no Pernambuco, no bairro Nova Olinda, em frente ao 8º BPM, podem para o e-mail paulobatalha@emsa.com.br.
Fique por dentro
A substituição da empresa Mendes Júnior, até então responsável pelo Eixo Norte (1N), foi iniciada em junho do último ano, depois que a construtora comunicou ao Governo Federal a incapacidade técnica e financeira em executar os seus dois contratos nas obras do Projeto São Francisco. Em outubro passado, a Mendes paralisou por completo as obras, que só seriam retomadas no início de julho deste ano, com o contrato assinado com a concessionária Emsa-Siton, no valor de R$ 516 milhões.
O Eixo Norte (1N, 2N e 3N) está com 94,9% das obras finalizadas. Com 260 quilômetros de extensão, o eixo capta a água do Rio São Francisco, em Cabrobó (PE), e a conduzirá até o Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, por meio dos canais, túneis, aquedutos e estações de bombeamento. A estrutura vai beneficiar mais de 7,1 milhões de habitantes nos quatro estados.
O Projeto de Integração do Rio São Francisco, composto pelos eixos Norte e Leste, vai beneficiar mais de 12 milhões de pessoas em Pernambuco, no Ceará, na Paraíba e no Rio Grande do Norte. A obra é o maior projeto hídrico do país. Consistem em 477 quilômetros de extensão, com a construção de quatro túneis; 14 aquedutos; nove estações de bombeamento; 27 reservatórios; nove subestações de 230 quilowatts; e 270 quilômetros de linhas de transmissão em alta tensão.                 (Blog Diário Cariri)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.