Header Ads

Chapada do Araripe e outras áreas de conservação recebem R$ 2,3 mi para conservação

Chapada do Araripe e outras áreas de conservação recebem
R$ 2,3 mi para conservação. FOTO: Jornal do Cariri
No mês de agosto, a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza apoiará financeiramente 17 novos projetos de conservação da natureza em todo o Brasil – que foram selecionados por meio de editais públicos lançados no início de 2017. No total, serão doados R$ 2,3 milhões para iniciativas a serem realizadas em todos os biomas brasileiros e nos ecossistemas costeiro e marinho. Nos estados da região Nordeste são três os projetos que receberão apoio financeiro e que, juntos, somam R$ 813 mil.
Nos estados do Ceará e de Pernambuco, o projeto da Aquasis “Aves e seus mananciais na Caatinga cearense: Conservação através de Planos de Ação Nacionais” prevê ampliar a área da Reserva Oásis Araripe, criada 2014 nas encostas da Chapada do Araripe com o objetivo de proteger uma das aves mais raras e ameaçadas do mundo, o soldadinho-do-araripe (Antilophia bokermanni). Também são objetivos do projeto realizar censo para monitorar esta e outras cinco aves da Caatinga, bem como produzir e plantar mudas para enriquecer o habitat desses animais com arbustos, já que as árvores locais possuem crescimento lento e não acompanham o desenvolvimento e reprodução das espécies.
Proposta pela Fundação Apolônio Sales de desenvolvimento da UFRPE, a iniciativa “Conservação e ecologia espacial de predadores marinhos vulneráveis numa área marinha protegida crescentemente ecoturística” atuará na defesa dos tubarões de Fernando de Noronha (PE).
O projeto está focado nos tubarões lixa e limão, que se reproduzem próximo à costa: o problema é que nesse período eles ficam expostos à presença de humanos pelo ecoturismo, o que inibe sua reprodução. Para garantir a sobrevivência dos tubarões, os pesquisadores buscam identificar as áreas e os períodos de sua reprodução e alimentação para embasar ações de proteção dos seus habitats essenciais.
O “Programa Nacional para a conservação dos peixes-bois-marinhos”, proposto pela Fundação Mamíferos Aquáticos, será implantado nos estados nordestinos da Bahia, Paraíba e Sergipe, e também no Pará. A iniciativa atuará no monitoramento de peixes-bois-marinhos (Trichechus manatus) reintroduzidos no ambiente aquático, mas que vêm enfrentando barreiras que limitam o processo de readaptação.
Para garantir um monitoramento eficiente, que auxilie as futuras ações em prol da conservação desses animais, o programa acompanhará os animais por meio de uma tecnologia satelital, desenvolvida no Brasil. Desde a colonização do Brasil, os peixes-bois-marinhos sofreram uma forte pressão de caça e, hoje, existem apenas cerca de 1 mil indivíduos do Nordeste brasileiro.
Inscrições para novos projetos estão abertas
A Fundação Grupo Boticário está com o edital aberto para apoiar novos projetos de conservação em 2018. As inscrições podem ser feitas até o dia 31 de agosto no site da instituição, com três opções de categorias: Apoio a Programas (para iniciativas em todo o Brasil que demandem mais tempo para aplicação), Biodiversidade no Paraná (para propostas a serem executadas na região paranaense) e Apoio a Projetos (para projetos que contribuam na conservação das áreas úmidas).
Para concorrer em qualquer uma das três categorias, é preciso que as propostas atendam a uma das quatro linhas temáticas de apoio, relacionadas a unidades de conservação (UCs), espécies ameaçadas, ambientes marinhos e políticas públicas (esta específica para “Apoio a Programas”).
26 anos de apoio
Em 26 anos de atuação 1.510 iniciativas e 501 instituições já foram apoiadas em todo o território brasileiro, o que fez a Fundação Grupo Boticário se firmar como uma das principais financiadoras de iniciativas de conservação da natureza no Brasil.
De acordo com a diretora executiva da instituição, Malu Nunes, ao apoiar projetos, a Fundação contribui para ampliar conhecimento sobre a biodiversidade brasileira e para promover a sua conservação. “Conservar espécies e ecossistemas é essencial à economia e à qualidade de vida humana, pois é essa biodiversidade que fornece os serviços ambientais essenciais à nossa sobrevivência, como a produção de água, regulação do clima e a manutenção da qualidade do ar e do solo”, ressalta.
Sobre a Fundação Grupo Boticário
A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é promover e realizar ações de conservação da natureza.
Criada em 1990 por iniciativa do fundador de O Boticário, Miguel Krigsner, a atuação da Fundação Grupo Boticário é nacional e suas ações incluem proteção de áreas naturais, apoio a projetos de outras instituições e disseminação de conhecimento.

Desde a sua criação, a Fundação Grupo Boticário já apoiou 1.510 projetos de 501 instituições em todo o Brasil. A instituição mantém duas reservas naturais, a Reserva Natural Salto Morato, na Mata Atlântica; e a Reserva Natural Serra do Tombador, no Cerrado, os dois biomas mais ameaçados do país.           (Blog Diário Cariri)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.