Header Ads

Moradores de diversos bairros de Juazeiro do Norte sofrem com a constante falta de água

Moradores são afetados por falta de abastecimento
regular de água. FOTO: Bruno Gomes
Juazeiro do Norte. A maior cidade do interior cearense, com mais de 260 mil habitantes, sofre, constantemente, com a falta de água em diversos bairros. O abastecimento, gerido pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), é alvo de críticas por parte dos moradores. No bairro São José, é frequente a falta de água nas torneiras. “Aqui em casa toda semana falta água”, garante a diarista Cicera Lima, moradora da rua Monsenhor Lima.
Três quarteirões acima, o mesmo problema. Atividades básicas, como tomar banho, lavar louça e roupas, estão impossibilitadas, afirma a dona de casa Neide Custódio Sobrinho. Segundo conta, a falta de água, em sua residência, “ultrapassa seis, sete dias. Quando chega, vem sem força e demora a encher a caixa d’água”. No bairro Santo Antônio, o retrato é o mesmo.
Moradores reclamam da constante falta de água nas torneiras. O mecânico hidráulico José Pinheiro, residente na rua Maria Alacoque Bezerra, conta que, “cansado de esperar pela Cagece”, teve que comprar vários tambores para o armazenamento da água. “A Cagece promete, promete e a situação nunca muda. Então comprei três tambores e guardo a água quando ela chega, para utilizar quando falta, como agora. Mas a conta não deixa de chegar. Todo mês está aqui na porta. É um absurdo”, critica. No bairro, os moradores estão sem água desde o último domingo (30).
De acordo com a Cagece, a falta d’água no bairro Santo Antônio, “foi devido a problemas no registro do poço que abastece a localidade”. Segundo a Companhia, “uma equipe está trabalhando para solucionar a ocorrência”. A previsão é que o serviço seja concluído até as 18h de quarta-feira (2). Ainda conforme a assessoria de imprensa do órgão, “como o sistema funciona por pressão, após a conclusão do serviço, a água chega mais rápido nas regiões centrais e só depois nas áreas mais elevadas ou em ponta de rede. O equilíbrio total do sistema deve acontecer em até 72h do término do serviço”.
Questionada sobre as razões pelas quais os bairros sofrem constantemente com a problemática, a Cagece não se pronunciou. A reportagem do Diário do Nordeste também indagou se a Companhia desenvolve alguma atividade a fim de reduzir a alta incidência da falta de água, porém, a Companhia não se manifestou.        (Blog Diário Cariri)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.