Header Ads

Venda de imóveis sobe 81% em julho; maior resultado em 1 ano

Com impacto positivo do corte que levou a taxa básica de juros da economia (Selic) a um dígito pela primeira vez em quatro anos, o mercado imobiliário obteve em julho resultados que não eram alcançados há 12 meses. Em números, foram 264 imóveis residenciais verticais (apartamentos) vendidos em julho, o que representa um avanço de 81% ante as 146 unidades comercializadas em igual mês de 2016. Em relação ao Valor Geral de Vendas (VGV), houve aumento de 57% em julho na comparação com o igual período de 2016. O resultado leva a Lopes Immobilis a projetar que este ano encerre superando R$ 2 bilhões em vendas.

Para o sócio-diretor executivo da Lopes Immobilis, Ricardo Bezerra, os dados - divulgados nessa sexta (11) durante o evento Flash Imobiliário, realizado pela Lopes, provam "de forma inequívoca que o mercado retomou o crescimento". "Nós já ultrapassamos R$ 1 bilhão em vendas e a expectativa é superar os R$ 2 bilhões até o fim de 2017. No mês passado, nossa expectativa era pelo menos chegar próximo dos R$ 2 bilhões e hoje a gente já pensa em superar isso. No ano passado todo a gente chegou a R$ 1,7 bi", destaca.
Ainda considerando apenas os residenciais verticais, o VGV de julho foi de R$ 159 milhões, montante 43% maior que o do mês anterior. "Quando a gente compara um mês ruim com um mês bom é fácil, porque qualquer resultado acaba sendo positivo, mas o mês de junho foi muito bom e o mês de julho foi muito melhor, então significa que a gente melhorou o bom". As 264 unidades comercializadas representam ainda crescimento de 64% ante os 161 imóveis residenciais verticais vendidos em junho. Em maio, foram 169 vendidas. Desde agosto de 2016, a única vez em que o número de imóveis vendidos havia ultrapassado as 200 unidades foi em dezembro de 2016 (223 residenciais verticais vendidos).
Lançamentos
Em consonância com os resultados, também foram destaques os lançamentos de empreendimentos no mês. Foram quatro novos lançamentos ante nenhum em julho de 2016 e nenhum em igual mês de 2015. Com as novidades, são 440 unidades e R$ 302 milhões em VGV no mercado imobiliário do Ceará. "Em lançamentos nós tivemos números muito melhores ante o ano passado e ante 2015. Foram 4 em julho, enquanto, no ano todo até junho, só havíamos lançado um", reforça Bezerra.
O número parcial de 2017 já revela uma alta de 25% ante os quatro empreendimentos lançados durante todo o ano de 2016. Os números, entretanto, ainda seguem bem aquém dos 13 lançamentos de 2015 e dos 23 anunciados ao mercado em 2014. "Esses lançamentos devem impactar em mais vendas em 2018, que vai ser um grande ano para o mercado imobiliário", acredita o sócio-diretor executivo.
Outros segmentos
Além dos residenciais verticais, principal segmento dentro do mercado imobiliário no Estado, foram apresentados ainda os números de julho quanto aos comerciais, residenciais horizontais (casas) e segunda moradia. Considerando todos eles, foram 303 unidades comercializadas em julho, avanço de 73% ante as 175 unidades de julho de 2016, totalizando Valor Geral de Vendas de R$ 180 milhões.
Com o resultado, já são 1.415 unidades imobiliárias vendidas desde o início do ano até julho, totalizando VGV de R$ 1,02 bilhão. O número de unidades vendidas representa queda de 10% ante 2016, quando foram comercializadas 1.586 unidades. Entretanto, em VGV, é possível observar crescimento de 1% ante os R$ 1,01 bilhão alcançados em igual período do ano passado.
Atualmente, o mercado imobiliário cearense tem, em estoque, 5.149 unidades residenciais verticais; 1.401 comerciais; 413 segunda moradia; e 336 imóveis horizontais, totalizando estoque de 7.299 unidades, 3% maior que o de junho e 5,6% menor que em igual período do ano passado.
O que eles pensam
Queda dos juros gera impacto no desempenho
"Para a gente, da Simpex Dasart, o primeiro semestre deste ano foi um pouco acima do que esperávamos. Até o primeiro trimestre foi espetacular, mas o segundo trimestre de 2017, em meio a todas as notícias políticas, deu uma esfriada no mercado, mas agora, do mês de julho para cá, com todas essas novidades dos juros baixando, realmente sentimos uma procura maior por imóveis, as pessoas têm voltado a procurar e, com isso, a gente tem sentido o setor cada vez mais aquecido. Hoje, temos um empreendimento residencial no Lago Jacarey - o único prédio na região -, além de estarmos no Cocó, Aldeota e Eusébio"
Victor Frota
Presidente da Dasart Incorporações
"O mercado imobiliário está começando a ressurgir, não em função de uma melhora na política, porque nós temos notícias cada vez piores, mas diante basicamente dos juros caindo. Isso vai ser o maior 'alavancador' de negócios do mercado imobiliário. Então nós estamos vendo com otimismo a Selic caindo. A previsão é de que chegue a 7,5% ou 8% e isso, para nós, é um ponto muito importante. Em agosto, nós tivemos uma melhora nas vendas, então isso está se confirmando. Nós estamos há dois anos em uma posição de buscar segurança e evitamos fazer lançamentos, mas agora vamos lançar um prédio residencial até o fim do ano"
José Vilter Santos Magalhães 
Engenheiro sócio da Scopa Engenharia                     (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.