Header Ads

Em Juazeiro do Norte, inscrições abertas para curso gratuito de Cinema Documentário

Inscrições abertas para curso gratuito
de Cinema Documentário. FOTO: Rafael Vilarouca
Estão abertas as inscrições para a seleção da primeira turma do Curso de Cinema Documentário Doc Cariri, que acontecerá gratuitamente em Juazeiro do Norte. Dividido em 12 módulos, entre teoria e prática, o curso propõe a formação em história, linguagem e prática do estilo cinematográfico documental. As vagas são limitadas. As inscrições vão até dia 09 de fevereiro e podem ser feitas através de formulário no site: docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdDjAHr8aQD-7Jp05wHN_C7xs4Db8CRER91rKu11zpGPYX4dA/viewform

Coordenado pelos cineastas Ythallo Rodrigues e Alexandre Veras, o Doc Cariri será realizado cinco dias por semana, no período noturno, durante cinco meses, com aulas teóricas e práticas em cinema, ministradas por 9 profissionais, incluindo convidados de outros estados. O curso é gratuito e aberto à comunidade geral que tenha interesse em cinema e documentário, mas com limitação de vagas. Estudantes do ensino médio podem participar.

“Vamos relacionar a teoria, a técnica e a prática. Não seremos um curso de introdução ao cinema com a culminação de um filme, mas um curso que realiza filmes no decorrer das aulas”, explica o coordenador Ythallo Rodrigues, documentarista.

O Curso Doc Cariri é realizado por força coletiva da produtora Débora Costa, do grupo Filmes de Alvenaria, do qual Rodrigues faz parte, e conta com o apoio da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, contemplado no XII Edital Ceará de Cinema e Vídeo, de 2015.

PRODUÇÃO DE CINEMA NO CARIRI

Com a produção de cinema regional fervilhando, em uma agenda anual iniciada pelo Festival Cine Cariri de curtas-metragens, o Curso Doc Cariri vem como um incentivo a mais para a realização de filmes locais. Exemplos de produções bem-sucedidas não faltam: Também Sou Teu Povo (2006), de Franklin Lacerda; Couro Tecido (2012), de Adriana Botelho; Travesthriller (2013), de Orlando Pereira; O Padre Azul (2015), de Wilton Dedê; Sales e Salas (2016), de Ravi Carvalho; Candeias (2017), do próprio Ythallo Rodrigues; Os Olhos de Alice (2017), de Daniel Rizzi e Lamarck Dias, entre outros.


Para Ythallo, sempre existiu certa fascinação do Cariri em torno do cinema, “mas faltava incentivos para as ideias chegarem à prática”. “Agora temos as sedes dos canais de televisão aqui, o curso de Jornalismo, da Universidade Federal do Cariri, o curso de Artes Visuais, da Regional, e o curso de Áudio e Vídeo da Escola Profissionalizante, no Crato, e com isso vão surgindo novas ideias e possibilidades de diversas perspectivas, além de pessoal que de alguma forma já trabalhava com isso”, comenta.               (Cariri Revista)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.