Header Ads

Com constantes atrasos e trens em manutenção, Metrô do Cariri é instável e irrita passageiros

A cena é recorrente: um grupo de pelo menos 15 estudantes se aproxima da catraca da Estação Crato do Metrô do Cariri na Rffsa e, logo em seguida, volta à procura de outros meios de transporte para ir até a faculdade em Juazeiro, já com atraso. 

É o que vem acontecendo há cerca de um mês no sistema de VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos) que liga Crato à Juazeiro do Norte, serviço implantado pelo Governo do Estado em 2009, e gerido pela empresa Metrofor.

Os atrasos diários e a recorrente manutenção dos trens vêm causando indignação aos usuários, muitos deles estudantes que dependem do metrô para ir até a faculdade diariamente.

INCONSTÂNCIA

"Não dá para confiar", diz a aluna do curso de Farmácia que não quis se identificar. Ela reclama que, apesar de se programar para chegar à estação antes das 6h50, por diversas vezes há atraso de pelo menos 25 minutos para que o metrô parta em destino à cidade vizinha. "Esses atrasos geralmente se transformam em intervalos de 40 minutos", reclama a estudante.

Dois VLTs fazem a linha entre os municípios todos os dias. Há cerca de um mês, recorrentes manutenções fizeram com que apenas um dos trens passasse a funcionar, situação que altera consideravelmente os horários estabelecidos nas estações - essas informações são extraoficiais, e foram apuradas de maneira informal, durante conversas com passageiros que usam frequentemente o serviço.

ALTERNATIVAS

Por não ter mais a garantia do horário estabelecido nas viagens, muitos passageiros optaram pelos ônibus ou transportes alternativos, cujo trajeto é em média 25 minutos mais lento entre uma cidade e outra.

Na última sexta-feira (16), o site entrou em contato com a assessoria de imprensa da Metrofor, em Fortaleza, e enviou seis perguntas em relação aos serviços do Metro do Cariri.

Por telefone, a empresa confirmou recebimento e disse que enviaria as respostas, mas até o fechamento desta matéria os questionamentos permaneceram em aberto.

QUESTÕES

Entre as questões sobre os atrasos foram enviadas também perguntas acerca do estado de conservação dos trens e o número de funcionários da empresa lotados em Juazeiro do Norte e em Crato.

Abaixo, a lista com os questionamentos enviados à Metrofor:

1 - Há constantes reclamações acerca da constância dos horários e funcionamento padrão do Metrô no último mês*.  A que a administração aplica as constantes manutenções?

2 - Há um plano estabelecido para que, ao constatar problemas em algum dos VLTs, haja substituição sem prejuízos no horário do funcionamento?

3 - Há previsão de troca dos VLTs para modelos mais novos? Houve troca dos trens desde a inauguração em dezembro 2009?

4 - Um dos trens continua em situação precária em relação às janelas. Toda ela depredada, inclusive com uma espécie de ´remendo´ feito com uma fita adesiva vermelha. Esta fita é específica para este tipo de reparo?

5 - Quantos funcionários estão lotados em Juazeiro do Norte e Crato para gerir o Metrô do Cariri?

6 - Há uma previsão para que os trens voltem a rodar sem constantes atrasos?

* Estes reclames não são feitos de maneira formal ou documentada. Leitores do site entram em contato com a redação e um jornalista vai até o local constatar o fundamento da queixa.          (Site Miséria)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.