Header Ads

Professores exigem do prefeito de Missão Velha convocação após seleção de temporários


Professores e alguns vereadores de oposição em Missão Velha são as peças principais contra o processo seletivo simplificado 001/2018 (http://missaovelha.ce.gov.br/wp-content/uploads/2018/03/Edital-N%C2%BA-001-2018.pdf) para contratar professores temporários, lançado pela Secretaria de Educação do município na última terça (6), com prazo de inscrição até o dia 9. 

O argumento da classe é de que desde 2015 professores aguardam convocação, quando a prefeitura realizou, no dia 2 de setembro, Concurso Público para vagas efetivas em diversas áreas. Não veem sustentação legal, portanto, para contratar temporariamente para estes cargos.

Em dezembro de 2017, o prefeito Diego Feitosa prorrogou (
http://missaovelha.ce.gov.br/wp-content/uploads/2017/12/Decreto-N%C2%BA.-020-2017-Prorroga%C3%A7%C3%A3o-do-Concurso-P%C3%BAblico.pdf) este concurso  por meio de decreto. A validade do certame se estende até 23 dezembro de 2019. 

No edital disponibilizado no site da prefeitura no último dia 6, a gestão argumenta que tais contratações por tempo determinado acontecem por conta da licença de servidores efetivos, redução de carga horária e readaptação. O documento não especifica quantos professores se enquadram nestes quesitos.

Em requerimento enviado nesta segunda-feira (12) ao Promotor de Justiça, Dr. Nivaldo Magalhães Martins, os professores de Missão Velha alegam que "readaptação não é uma causa apta para admitir contratação temporária pois gera vacância no cargo [...],  o mesmo se diz da redução da jornada de trabalho e readaptação".

"Estamos aí na luta pela convocação da classe. As escolas da cidade estão necessitadas de professores, pedagogos e a carência é real. Não há justificativa, não tem como colocar [professor] temporário por lei, estamos lutamos para ser convocados", diz uma professora que preferiu ter o nome preservado.

O Miséria tentou contato por duas vezes com a Secretária de Educação Amélia Macedo, mas as ligações não foram atendidas.                (Site Miséria)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.