Header Ads

Alta nos impostos e falta de incentivos fecha a Mondelli, importante indústria de Juazeiro do Norte

Após empregar 70 funcionários, a Mondelli mantém 10 pessoas
trabalhando e prepara demissões. FOTO: Felipe Azevedo
Após 12 anos atuando em Juazeiro do Norte, a Metais Mondelli, fábrica de peças injetadas em metal, irá fechar as portas por não haver condições de permanecer funcionando na região. O encerramento das atividades desta indústria é sintomático para o delicado momento que este setor se encontra no Cariri. 

Antes da abertura da Mondelli no Cariri, os donos de fábricas de calçado e confecção, principalmente, compravam no Rio Grande do Sul as pequenas peças de metal que enfitam os produtos. A fábrica de máquinas de costura Singer também era grande compradora da Mondelli.

Para se instalar na região, não houve nada além de promessas políticas para doação de terrenos ou nenhum tipo de flexibilização de impostos, diz o diretor da filial em Juazeiro, Eduardo Luis Selegar.

A fábrica chegou a empregar 70 pessoas diretamente, 300 indiretas e produzir 6 milhões de peças por mês. Hoje produz 300 mil peças, emprega 10 funcionários e se prepara para fechar as portas em no máximo 50 dias.

Motivos
Juazeiro do Norte não é mais um polo industrial, diz Luis. A alta de impostos e as diversas exigências dos órgãos públicos, somado ao atual cenário brasileiro que "sufoca" o empresário culminaram no fechamento da Mondelli. Luis relembra de quando foi intimado, por exemplo, a depor perante o juiz para explicar os motivos da diminuição do faturamento da fábrica, "achavam que estávamos trabalhando com notas frias".

Ele cita também uma exigência da companhia de água e esgoto, que determinou uma amostra do solo e lençol freático no entorno da fábrica a cada três meses. Os custos para esta operação seriam de R$ 20 mil por cada amostra. "Não temos condições", explica. 

Entre os funcionários que nos próximos dias perderão o emprego está Lindeberg. que trabalha na fábrica há 10 anos. "Estou triste vendo a empresa fechar. A gente fica na incerteza sobre o que vai acontecer, bate um desânimo ver o comércio tão parado. Não sei onde procurar emprego", relata.

Um empresário no ramo de confecções e peças íntimas há 10 anos no mercado em Juazeiro, afirma que o fechamento da Mondelli é a "ponta de um iceberg" que em breve se revelará na região. "Não temos mais indústrias, os calçadistas estão fechando as portas e o Cariri passa por um momento delicado", alerta.            (Site Miséria)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.