Header Ads

Águas do Rio São Francisco podem chegar em Fortaleza até o fim deste ano

FOTO: Eduardo Queiroz
As águas do Rio São Francisco podem chegar a Fortaleza e Região Metropolitana até o fim deste ano, é o que diz o Ministério da Integração Nacional (MIN). No entanto, para que isso aconteça, será necessário um recurso financeiro extra, a ser concedido pelo Governo Federal. A liberação da verba poderá agilizar a chegada das águas no Canal do Trabalhador, previstas inicialmente para este mês. Ministros e representantes técnicos discutiram o assunto, na tarde desta terça-feira (12), no Palácio da Abolição. Na ocasião, o Governo do Estado foi representado pelo secretário-chefe de gabinete, Élcio Batista.

De acordo com o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, há a necessidade de um valor equivalente a R$ 100 milhões para a conclusão das obras, que devem ser disponibilizados pelo presidente Michel Temer (MDB). "Vamos levar isso ao presidente. Nós estamos participando de um programa chamado 'Chave de Ouro', que consiste em inaugurações ou ordens de serviços a serem realizados nos últimos meses deste governo".

O ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua de Deus Andrade, afirma que o projeto fará com que as águas cheguem pelo Rio Salgado, localizado em Lavras da Mangabeira, e sejam levadas até o Açude Público Padre Cícero, conhecido como Castanhão, em Alto Santo,abastecendo a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). "Estamos trabalhando 24 horas para fazermos com que a água chegue ao Ceará", concluiu.

Eixo Leste
Mais de um milhão de pessoas em 33 cidades de Pernambuco e da Paraíba já recebem as águas do Rio São Francisco em suas residências, desde a inauguração do Eixo Leste, em março do ano passado. Naquela ocasião, o Projeto de Integração evitou o desabastecimento iminente da região metropolitana de Campina Grande, segundo maior cidade da Paraíba.

Quando os dois eixos do empreendimento estiverem totalmente finalizados, as águas do "Velho Chico" poderão garantir a segurança hídrica de 12 milhões de pessoas em 390 municípios de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Segurança Hídrica

O Governo do Ceará afirma que tem garantido recursos e estratégias para minimizar os efeitos da estiagem, que ocorre há exatos seis anos ininterruptos. A atual gestão diz que foi lançado, em 2015, o Plano Estadual de Convivência com a Seca, que prevê medidas emergenciais, estruturantes e complementares para o Interior nos cinco eixos de atuação: segurança hídrica, segurança alimentar, benefícios sociais, sustentabilidade econômica, e conhecimento e inovação. 

Entre as iniciativas adotadas estão: perfuração de poços, construção de adutoras, além de chafarizes e sistemas de abastecimentos de água. O programa de perfuração de poços está sendo intensificado nas regiões que mais precisam. Em 2016, o governador Camilo Santana anunciou um conjunto de ações emergenciais com foco no abastecimento de água em Fortaleza e Região Metropolitana.   (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.