Header Ads

Em inauguração de museu, mestre de cultura do Cariri festeja a própria casa como guardiã de memórias



O agricultor Antônio Luiz de Souza vai completar 61 anos na sexta-feira (21). O novo ciclo dele vem acompanhado de uma experiência de vida distinta: a casa de Luiz se tornou, nesta terça-feira (18), o primeiro de 16 museus a serem abertos nas moradias de mestres da cultura popular no interior cearense. Em meio a fotografias, cartazes e muito reisado, ele destacou, em entrevista ao G1, a grandeza de dar abrigo à parte da memória do povo cearense.

"Por ser um agricultor da roça, estou me sentindo realizado, é uma coisa muito especial. Vou fazer 61 anos em 21 de setembro, estou sem palavras. Nosso Reisado, ele é diferente dos outros. Tem muito reisado que é cantado, a dança nossa tem baião, tem xote, tem choro. Estou realizado. Eu queria mostrar isso para o povo de fora. Hoje estou tendo essa oportunidade. Todo mundo que veio está vendo a nossa apresentação, o nosso trabalho. Só posso agradecer", afirma.

No total, serão 16 pontos de cultura popular no estado, em um trabalho desenvolvido em parceria entre o Sesc e a Fundação Casa Grande. A casa Antônio Luiz de Souza, no Sítio Sassaré, a quatro quilômetros do centro de Potengi, é identificada como um museu orgânico, onde o Reisado de Couro dos Caretas, cultura quase secular no Cariri, pode ser conhecida por todos que desejarem uma experiência de turismo antropológico.

"A minha casa... É uma surpresa. Você olha tem foto, tem cartão, tem reisado, é isso. Estou muito feliz daqui para frente eu espero ter mais convite para a gente viajar e mostrar o nosso trabalho", completa.

Na abertura, nesta terça-feira (18), os visitantes apreciaram fotografias das manifestações do reisado, que faz parte da vida de Antônio Luiz desde 1975. Também foram expostos os instrumentos musicais e as dez máscaras dos caretas: o Velho Bacurau, a Velha Quitéria, o boi, a burrinha, o urubu, o jegue, o carneiro, o cavalo e a ema, personagens do reisado que todos os anos ganham vida no terreiro do Mestre, sempre nas Festas de Reis.

Elane Lavor, gerente da Unidade Juazeiro do Sesc, também conversou com o G1. Ela exaltou a iniciativa.

"O museu orgânico é algo inusitado. Um pouco diferente de tudo o que se entende e é uma vivência. O visitante chega à casa do mestre, que é o principal, e vai poder escutar as suas histórias, de onde veio a tradição. Ter contratado com a sua família, a sua tradição, o seu acervo. Vai proporcionar ao visitante algo novo. Será muito relevante, porque o mestre vai ser conhecido e não vamos deixar que essa tradição acabe" comenta.

No Cariri cearense, os brincantes de Potengi usam as máscaras que fazem com a madeira de mulungu, uma árvore da caatinga, e com adornos de couro de bode, para evocar os disfarces usados pelos três reis bíblicos quando escapavam de Herodes. Violão, zambumba, pandeiro e triângulo conduzem os movimento dos caretas, que emitem sons no decorrer dos entremeios, pequenas encenações com as figuras do reisado.

Serviço
Museu Orgânico Mestre Antônio Luiz – Potengi (Ceará)
Local: Sítio Sassaré, n° 23, Potengi
Informações: (88) 3512.3355     (G1 CE)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.