Header Ads

Icasa vence primeira batalha contra a CBF e pode receber 20 milhões de reais


Uma boa notícia surpreendeu os torcedores do Icasa, nesta sexta-feira (31). O advogado George Ferrúcio, em entrevista ao Programa Esporte Mais, da Cariri FM, anunciou que o clube venceu, em primeira instância, a ação ajuizada contra a Confederação Brasileira de Futebol e pode receber 20 milhões de reais de indenização. A justiça entendeu, segundo o advogado, que o Icasa teve danos materiais, por não ter jogado a Série A do Brasileiro de 2014, e havia grande diferença financeira nos valores recebidos pelos clubes que disputavam a Série A, em comparação com a Série B. E teve também danos morais; “na teoria da perca de uma chance que o clube não pode participar porque não lhe foi permitido isso”, disse George Ferrúcio.

Entenda o caso
Em 2013, o Icasa disputou a Série B do Brasileiro e ficou em quinto lugar, com 59 pontos. Um ponto a menos do que o Figueirense, quarto colocado. No dia 07 de fevereiro de 2014, a diretoria icasiana anunciou que  havia entrado com uma ação no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para ganhar uma vaga na Série A do Campeonato Brasileiro. A alegação é de que o volante Luan, do Figueirense, foi escalado de maneira irregular, no dia 28 de maio de 2013, na partida contra o América-MG. No entanto, a CBF afirmou que o jogador não estava irregular, e o STJD arquivou a denúncia.

Posteriormente, o então gestor do Icasa, Emerson Maranhão, convocou uma coletiva de imprensa, ao lado do então presidente, Paes de Lira, do diretor executivo, André Turatto, e dos advogados Cícero Ferrúcio Pontes Júnior e George Ferrúcio. Na ocasião, Emerson afirmou que o Icasa tinha um documento em que a CBF reconhecia a irregularidade do jogador Luan, do Figueirense, que tinha também contrato vigente com o Metropolitano.

Os advogados expuseram vários documentos e anunciaram que o Verdão do Cariri havia conseguido uma liminar na 4a Vara Cível do Rio de Janeiro, determinando que a CBF incluísse o Icasa na Série A do Brasileiro de 2014. A liminar foi concedida pela juíza Erica de Paula Rodrigues da Cunha. Posteriormente, a CBF recorreu e conseguiu derrubar a liminar. Não satisfeito, o Icasa seguiu lutando na justiça pelo direito de jogar a Série A do Brasileiro, como não conseguiu, acionou a justiça pedindo indenização, alegando inúmeros prejuízos.

Quatro anos depois, o Icasa tem nova vitória sobre a CBF, e mesmo achando que o valor da indenização poderia ser maior, o clube agora aguarda o desfecho dessa ação. O advogado George Ferrúcio destacou que a Confederação Brasileira de Futebol ainda pode recorrer. O advogado disse também que o próximo passo do clube vai depender dos atuais gestores. “Temos que sentar com o atual presidente e o conselho deliberativo para definir os próximos passos. Apesar de não saber até quando essa briga jurídica vai, realmente, terminar, o momento é de comemoração”, concluiu.

Atualmente quem está comandando o Icasa, de forma interina, é o presidente do conselho deliberativo do clube, Francisco Leite Bezerra, conhecido como França Bezerra. O presidente da executiva, Juarez Saraiva, e o vice-presidente, Valdinor Bueno, renunciaram aos cargos na última terça-feira (28).  (Site Badalo)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.