Header Ads

Mercado de Telecom aguarda com ansiedade a liberação do 5G no Brasil


Uma sondagem de opinião realizada entre os dias 15 e 18 de outubro, em São Paulo, ouvindo um total de 235 executivos que atuam no segmento de telecomunicações, demonstrou as expectativas e receios do mercado em relação à implementação do 5G no Brasil. O estudo foi realizado durante o Futurecom 2018, maior evento do setor na América Latina, pela Ericsson, uma das principais fornecedoras de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) para provedores de serviços, que atua com cerca de 40% do tráfego móvel atual do mundo, 50% do Brasil e 98% de São Paulo realizados em suas redes.

Considerado a nova geração da conectividade móvel, o 5G já é uma realidade para a Ericsson nos Estados Unidos e na Ásia e, entre 2019/2020, deve chegar ao Brasil a partir da liberação da frequência pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Enquanto tecnologia, trata-se de uma evolução do que se conhece em termos de performance e capacidade de transmissão de dados por rede móvel, mas também é uma revolução completa já que proporcionará avanços significativos em Internet das Coisas (IoT) e a transformação digital de todos os setores da economia.

Quando perguntados sobre o impacto do 5G para as operadoras de telefonia celular, mais de 92% dos respondentes concordam que a introdução da nova geração da conectividade móvel permitirá que esses players se tornem mais flexíveis, ágeis, eficientes e capazes de oferecer novos modelos de negócios para suas bases de clientes.

Para 54,5%, os novos serviços em IoT (muito além da conectividade, por meio de parcerias) serão os principais impulsionadores do sucesso do 5G no Brasil e no mundo. Nesse tópico, também foram amplamente citadas as demandas pelo aumento exponencial da capacidade da rede (35,7%) e por novas receitas a partir de serviços de banda larga sem fio – Fixed Wireless Access (33,6%). Um total de 28,9% destaca a aplicação do 5G para identificar novos clientes em um mercado de fábricas conectadas e indústria 4.0.

Quase metade dos respondentes (48,1%) acredita que os consumidores finais serão os maiores beneficiados pela chegada do 5G no País. Destaque para a percepção da amostra sobre impacto positivo do 5G nos setores de Cidades Inteligentes (28,1%), Indústria 4.0 (15,7%) e Agronegócio (8,1%).

Os respondentes também se posicionaram sobre as necessidades de suas empresas no que dirá respeito à implementação dos serviços na rede 5G: 49,6% esperam maior eficiência nas redes de acesso, com menor custo por gigabyte. Para 38,6%, será fundamental dispor de soluções de analytics que combinem inteligência a partir dos serviços, comportamento dos usuários, recursos de rede e conteúdo, para permitir decisões assertivas baseadas em dados e tendências. A flexibiidade de arquitetura de redes para atender à crescente demanda por novos casos de uso de 5G e IoT foi destacada por 32,1% da amostra, combinada com outros 29,4% de citações mencionando a importância de poder contar com plataformas de serviços e aplicações para Internet das Coisas.     (Blog Na Rede)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.