Header Ads

Vendas do varejo cearense avançam 3,2% em agosto, diz IBGE

O segmento de livros, jornais, revistas e papelaria foi o que mais
contribuiu para o crescimento das vendas em território cearense,
com expansão de 15,3% em agosto contra o mesmo
mês do ano passado. FOTO: Neysla Rocha
As vendas do comércio varejista do Ceará cresceram 3,2% em agosto em comparação com o mês de julho. O resultado ficou abaixo da média nacional, que registrou avanço de 4,2% no chamado varejo ampliado, que inclui segmentos que comercializam produtos de valores mais altos, como material de construção e automóveis.

Entre os estado do Nordeste, o Ceará obteve a segunda melhor resposta, perdendo apenas para a Paraíba, que lidera o ranking das unidades da federação, saltando 6,7% no volume de vendas em um mês. O último colocado também pertence ao Nordeste. O comércio sergipano viu seu desempenho cair 0,6% em agosto, o único estado brasileiro a apresentar variação negativa.

Em relação ao mesmo mês do ano passado, o resultado estadual foi ainda um pouco melhor, com incremento de 3,7%, segundo os dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada esta quinta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ainda assim, o Ceará continua abaixo da média do Brasil, que atingiu crescimento de 6,9%. O Estado também perde duas posições na classificação do Nordeste nesta base de comparação. A Paraíba continua liderando a região, com avanço de 13,3%, seguido do Maranhão (9,4%), Rio Grande do Norte (5%) e Ceará (3,7%).

Desta vez, o Espírito Santo é quem fica no topo do ranking brasileiro, sendo observado incremento de expressivos 15,8% no volume de vendas do varejo. Na ponta oposta, o Amapá ficou com a última colocação, apresentando queda nos resultados de 7,9%.

No acumulado dos primeiros oito meses de 2018, o Ceará agrega crescimento de 3,6% ante o mesmo período do ano passado. Já nos últimos 12 meses, de agosto de 2017 a agosto deste ano, o índice chega a registrar crescimento de 4,6%.

Livros, jornais e papelaria
O segmento de livros, jornais, revistas e papelaria foi o que mais contribuiu para o crescimento das vendas em território cearense, com expansão de 15,3% em agosto contra o mesmo mês do ano passado. Artigos de uso pessoal e doméstico também apresentaram melhoria expressiva de 10%.

Também apresentaram variação positiva tecido, vestuário e calçados (5,8%), veículos, partes e peças (5,5%), móveis e eletrodomésticos (4,2%), hipermercados, produtos alimentícios e bebidas (2,1%), artigos farmacêuticos, de perfumaria e cosméticos (2%) e material de construção (1,8%).

No sentindo contrário, somente dois segmentos tiveram redução nas vendas: equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação e combustíveis e lubrificantes, registrando -3,8% e -0,8% respectivamente.    (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.