Header Ads

Black Friday deve movimentar R$ 61 milhões no Ceará

Período de promoções deve também chegar às
lojas físicas do Estado. FOTO: Kléber A. Gonçalves
Black Friday já se consolidou como o dia mais importante para o comércio eletrônico nacional. E, em 2018, a movimentação deve ser recorde ao ultrapassar os R$ 2,5 bilhões no Brasil. O que significa aumento de 19% se comparado com o ano passado, segundo estimativa de dados gerados a partir do histórico das edições anteriores e com base no tráfego do site do idealizador do evento, www.Blackfriday.Com.Br. Em Fortaleza, a previsão de vendas tende a seguir essa expectativa ao ficar acima dos R$ 43,5 milhões este ano. E, no Ceará, este valor deve exceder os R$ 61 milhões.

"Este crescimento ano a ano ocorre desde quando trouxemos o evento para o Brasil em 2010 e demonstra o diferencial da Black Friday daqui: ela já nasceu inclusiva por conta do foco no comércio eletrônico, já que o ambiente digital possibilita a participação de todos, inclusive fora dos grandes centros, afinal basta ter internet para aproveitar", esclarece Ricardo Bove, diretor da BlackFriday.Com.Br.

Conforme Freitas Cordeiro, presidente da Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL), a expectativa, após as eleições é de crescimento na faixa de 8%. "Todo mundo está preparado. A expectativa de resultado é crescente, estamos vivendo um momento bom no País e os indicadores apontam para crescimento. Eu estava trabalhando antes dos resultados das eleições com 5%, mas depois dos resultados, com a euforia do consumidor, eu estou projetando uns 8% de crescimento", aponta.

Ainda, segundo Bove, as principais intenções de compras para a edição de 2018 seguem o mesmo perfil dos anos anteriores: busca por produtos de maior valor agregado e de desejo. O destaque fica por conta dos smartphones, seguido por televisores, notebooks e eletrodomésticos. De acordo com ele, dois fatores principais justificam esse crescimento. "É um evento majoritariamente online, mais de 80% das vendas ocorrem no ambiente do e-commerce. O Brasil tem hoje 120 milhões de pessoas com acesso à internet e somente 65 milhões são e-consumidores. A questão política e econômica também explica. A gente veio de uma crise de dois anos e este ano foi de muita incerteza política. Agora que isso passou as empresas e os consumidores começam a comprar novamente", acrescenta.

Preparação
De acordo com Francisco Cantão, fundador do site Black Friday de Verdade e sócio-diretor da Proxy Media Marketing Digital, algumas dicas são importantes na hora da compra.

É preciso monitorar os produtos que os consumidores desejam comprar. "Monte uma lista com todos os itens que você deseja adquirir e monitore constantemente os preços que as principais lojas virtuais estão praticando". Além disso, é recomendável uma pesquisa sobre a reputação dos e-commerces.

"É comum em grandes datas do comércio eletrônico surgirem lojas com ofertas tentadoras, mas que no fim não enviavam o pedido e desapareciam dias depois. Sites como Procon e Reclame Aqui são ótimos indicadores sobre a reputação da marca e as próprias redes sociais ajudam nisso".

A recomendação também é planejamento. "Os descontos são vantajosos, a oferta de produtos é enorme e fica difícil resistir ao impulso. Para evitar endividamento, o ideal é fazer um planejamento financeiro", destaca.     (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.