Header Ads

Cão da raça Pit bull ataca e fere os próprios donos, em Fortaleza


A dona disse que pensa em sacrificar o cão por ele representar uma ameaça à família. O pitbull deve ficar dez dias em observação para análise de comportamento e do estado de saúde. FOTO: Ricardo Mota
Um cão da raça pit bull atacou os próprios donos na noite desta terça-feira (27), no bairro Bonsucesso, em Fortaleza. A vendedora Cristina Meireles, de 43 anos e o filho dela, o estudante Lindemberg Meireles Mendonça, de 21, tiveram ferimentos graves. Uma moradora da região que passava pelo local também ficou ferida. O cachorro só parou de perseguir as pessoas após ser atropelado.

O proprietário disse à reportagem não saber o que motivou a violência do animal. Segundo Lindemberg, ele estava passeando com Logan, o cão de três anos, pela rua Francisco Domingos, quando o animal ficou agressivo e o atacou. O cachorro então avançou violentamente contra o jovem, causando ferimentos graves nos braços dele. O estudante então conseguiu entrar numa casa para fugir do animal. 

As mordidas foram tão fortes que deixaram marcas de sangue espalhadas pelo asfalto, pela calçada e na parede da casa onde o dono conseguiu se esconder. 

Depois de morder o dono, o cão seguiu violento atacando também a mãe de Lindemberg e uma mulher que passava pelo local.

Cão só deixa de atacar após ser atropelado
Outras pessoas que estavam próximas atiraram tijolos no cachorro para tentar salvar as vítimas do ataque, que só foi contido depois que motoristas que passavam no cruzamento da rua Francisco Domingos com a rua Luzia Moreira jogaram seus carros contra Logan.

Atropelado, sangrando pela boca e com uma lesão nas patas, o cachorro finalmente parou de atacar. Os moradores relataram que um carro recolheu o animal. 

Donos foram levados a hospital
Os donos foram levados para a emergência do Frotinha da Parangaba e liberados por volta das 3h da madrugada desta quarta-feira (28). Cristina Meireles disse que não entendia porque o animal os atacou. Ela afirmou ainda que pensa em sacrificar o cão por ele representar uma ameaça à família.

O pit bull deve ficar dez dias em observação para análise de comportamento e do estado de saúde.      (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.