Header Ads

Transnordestina: Ceará incluído em trecho prioritário


FOTO: Vandeberg Belém
Os próximos 30 dias serão cruciais para o prosseguimento do projeto econômico da Transnordestina. É o tempo que a equipe de transição do futuro presidente Jair Bolsonaro se reúne com representantes da ferrovia para validar o que foi acordado com o atual governo de Michel Temer. Segundo o presidente da Transnordestina Logística (TLSA), Jorge Luiz de Mello, a expectativa é ele ser chamado a qualquer momento para discutir a temática.

“Todas as fases já foram discutidas com o governo que está saindo. Precisa ser validado com o governo que está entrando. Estamos nessa fase de validação com o governo que vai assumir. Já estamos com um parceiro estratégico que foi mapeado. Estamos para assinar um documento tripartite entre a gente, governo federal e este agente econômico”.

De acordo com ele, foi acertada a conclusão da Transnordestina em quatro fases, e o Ceará foi contemplado na primeira fase, com previsão de término para 2022. “A primeira fase é um projeto de exportação de minério que é produzido no interior do Piauí no trecho da ferrovia que já está pronta e que vem até o Porto do Pecém. Logo em seguida a gente parte para a segunda fase que é atingir a região de Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), região de grande produção de grãos”.

Mello acrescentou que a terceira e quarta fases agregam a chegada a uma região entre Pernambuco e Paraíba e a finalização até o Porto de Suape. “Em 2022 é a conclusão da primeira fase, 2023 a segunda, 2025 a terceira e 2027 a quarta”. 

Obras
Com as obras ainda em andamento, a Transnordestina é um importante projeto de integração do modal ferroviário para o Nordeste. A ferrovia que deveria ter sido entregue ainda em 2010 liga vários pontos da Região. Atualmente, de acordo com a TLSA, há 600 km prontos, o que representa 52% do total. Porém, no Ceará, há apenas 50 km de ferrovia construídos de um total de 527 km. A empresa ressalta que estão sendo realizadas obras de sondagem de solo, para reconhecer as características do terreno por onde a ferrovia irá trafegar.    (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.