Header Ads

Campanha valoriza saúde mental e emocional no Cariri


O início de um novo ano traz, à maioria das pessoas, um momento reflexivo. Pensar sobre a vida, o sentido e propósito que ela possui é um dos comportamentos vividos no período. Pensando nisso, desde 2014, é realizado o Janeiro Branco em todo o Brasil. A campanha, idealizada pelo psicólogo Leonardo Abrahão, de Minas Gerais, tem como foco principal a Saúde Mental e Emocional. Durante todo o mês, os municípios realizam ações voltadas ao tema, que vão desde rodas de conversa e caminhadas a discussões mais aprofundadas para fortalecer políticas públicas. 

O município de Juazeiro do Norte possui o Centro de Atenção Psicossocial em três modalidades: o Infanto-Juvenil, para jovens e crianças; CAPS III, que atende adultos em situação de transtorno mental; CAPS AD, para pacientes em situação de dependência química por álcool e outras drogas. Além desses serviços, há atenção ambulatorial, com profissionais especializados, e ainda Atenção Básica, que desempenha ações em saúde mental. O Município de Crato, por sua vez, possui CAPS AD, CAPS III e atendimento ambulatorial para crianças e adolescentes. 

De acordo com Cíntia Gomes, que está na direção de Saúde Mental em Juazeiro do Norte, cerca de 400 pacientes são atendidos mensalmente em cada CAPs. Nos ambulatórios, cinco profissionais atendem, em média, 15 pacientes ao dia, contabilizando cerca de duas mil pessoas. No Município, o Janeiro Branco trabalhará três eixos no Município: fortalecimento da rede em saúde mental, em especial a atenção primária no acolhimento e acompanhamento a pacientes com transtornos mentais; judicialização de internamentos em saúde mental, em que o Ministério Público e a Defensoria Pública irão orientar como proceder com famílias que buscam a internação – algo nem sempre necessário; e ações com gestantes, mulheres, trabalhadores e população em geral. 

Para 2019, Cíntia conta que a maior perspectiva é fortalecer os serviços “para que esses pacientes que estão em situação de transtorno mental sejam atendidos em amplo aspecto, seja na questão dos direitos sociais, da moradia, do dia a dia ou dos benefícios sociais”. Já em Crato, de acordo com Gabriel Brito, que coordena o CAPS AD, são feitos 168 atendimentos no CAPS III e 62 no AD, a cada dia, envolvendo acolhimentos em grupos e individuais. Em relação a crianças e adolescentes, são cerca de 20 crianças e adolescentes por semana. 

Como acredita, a alta quantidade de prontuários nos serviços pode estar relacionada ao fato de Crato ter sido considerado, por muitos anos, referência em saúde mental, graças ao hospital psiquiátrico que funcionava no Município. “Hoje, temos uma média de 3.800 usuários no CAPS III e 789 no CAPS AD”, conta. Para a programação da campanha, ele cita que o Município cratense realizará rodas de conversas, blitzes educativas e caminhadas pela paz. Ele lembra que, além de atividades individuais e em grupos, são feitas ações junto às famílias, escolas, CRAS, conselho tutelar e outros dispositivos, de onde podem surgir encaminhamentos. 

A psicóloga Lilliana Saraiva, coordenadora do CAPS III, em Barbalha, enfatiza que o Município vai fortalecer a aproximação com a sociedade. Conforme explica, existe um número não mensurável de pessoas que padecem de algum sofrimento mental, mas não relatam ou não têm a oportunidade de ir até o serviço de saúde.      (Jornal do Cariri) 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.