Header Ads

Crato, Juazeiro e Barbalha tem estoque quase zerado de vacina antirrábica


Quem precisa tomar vacina antirrábica nas três maiores cidades do Cariri está encontrando os estoques zerados ou com pouca oferta nos postos de atendimento disponibilizados pelos municípios. A justificativa apontada pelas secretarias de Saúde dos três municípios do Crajubar (Crato, Juazeiro e Barbalha) é a mesma: diminuição no fornecimento da vacina a nível nacional e mundial. 

Em nota enviada à imprensa, a prefeitura de Juazeiro do Norte comunicou que a escassez do imunibiológico é motivada pela redução e atraso no envio das remessas do medicamento para o Município, de responsabilidade do Ministério da Saúde (MS). “O MS avaliou a necessidade de aquisição de 2,6 milhões de doses da vacina para atender a demanda do país em 2018. No entanto, fez a compra de 1,3 milhões de doses, metade do total inicialmente planejado”, justifica a gestão, por meio de nota. 

A coordenadora de imunização de Juazeiro, Márcia Rejane, orienta as pessoas mordidas por cães e gatos a terem cautela para lidar com a situação. “A recomendação é lavar o local com água e sabão, porque o sabão mata o vírus, que está presente na saliva do animal”, diz. A coordenadora acrescenta que, mesmo sem oferta de vacinas na rede municipal de saúde, é recomendado fazer uma consulta médica em caso de mordedura. “Não tendo a vacina, se o médico achar conveniente, ele vai prescrever o soro, e nós solicitamos o soro até a vacina normalizar, como forma de amenizar os casos considerados mais graves”, completa. 

Barbalha e Crato 
Barbalha e Crato têm pouco estoque da vacina usada para combater a raiva, doença contagiosa geralmente transmitida através da mordida de animais domésticos infectados pelo Lyssavirus, principalmente cães e gatos. 

“Nós dependemos do envio da vacina pelo Ministério da Saúde para a Secretaria de Saúde do Ceará e, só depois, as doses chegam à regional de saúde de Juazeiro para então serem distribuídas nos municípios da região. Esse processo longo acaba atrasando a distribuição, fazendo com que os postos fiquem praticamente com estoque zerado”, frisa a coordenadora de imunização de Barbalha, Adriana Rocha, acrescentando que na maior parte do ano a demanda por vacina é sempre maior do que a quantidade de doses disponíveis. 

Em Crato, conforme a coordenadora de Vigilância em Saúde, Arlene Sampaio, a situação do estoque é menos preocupante, mas ainda assim ela alerta para o risco de desabastecimento nos próximos dias, caso ocorra novos atrasos no repasse das remessas de vacinas para o Município. “Nunca chegamos a ficar com o estoque zerado, mas se esses atrasos permaneceram e a procura aumentar, a vacina pode faltar a qualquer momento”, afirma.    (Jornal do Cariri)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.