Header Ads

Apoiados por Huck, grupos de renovação política buscam reinvenção e miram 2020



O ano é de renovação na renovação. Passado o frenesi das urnas, grupos independentes que contribuíram para a eleição de novas caras em 2018 vivem uma fase de redefinir prioridades e adaptar rotas. A principal mudança para organizações como o Agora!, o RenovaBR e o Acredito é o fato de que elas passaram a ter braços no poder — não só nos Legislativos, principal foco no ano passado, mas também no Poder Executivo.

Renova e Agora!, as entidades mais conhecidas desse ecossistema (não por coincidência, ambas apoiadas pelo apresentador e empresário Luciano Huck), elegeram juntas 17 parlamentares e tiveram ao menos 21 integrantes nomeados para outros cargos.

Com apoio do Renova, que ofereceu curso por seis meses e bolsa que variou de R$ 5.000 a R$ 12 mil, saíram vitoriosos das urnas — entre outros, os federais Tabata Amaral (PDT-SP) e Marcelo Calero (PPS-RJ), os estaduais Daniel José (Novo-SP) e Renan Ferreirinha (PSB-RJ) e o senador Alessandro Vieira (PPS-SE).

Todos são novatos em cargos eletivos e adotam no mandato um discurso de novas práticas, ancorado em valores como ética e transparência. Integrantes que não tiveram a mesma sorte acabaram sendo chamados para outros postos na administração pública, em secretarias e assessorias de governos estaduais.

Para citar dois: Paulo Mathias (Novo-SP) virou secretário-executivo da pasta de Desenvolvimento Social do governo João Doria (PSDB-SP) e Mayra Pinheiro (PSDB-CE) assumiu uma secretaria do Ministério da Saúde na gestão Jair Bolsonaro (PSL).

"Na nossa avaliação, todas as pessoas que participaram do programa poderão dar uma contribuição nesses espaços a partir da formação a que tiveram acesso", diz o empresário Eduardo Mufarej, que fundou o Renova em 2017. Na seara eleitoral, o foco da entidade se volta para a disputa de 2020. Mais de 9.500 pessoas de todo o país se inscreveram no processo de seleção para líderes que querem concorrer a vereador ou prefeito.

"O principal desafio é como sair de um universo de 27 estados, como era no ano passado, para uma realidade de 5.600 municípios", diz Mufarej. Além de ajustar a temática da capacitação para assuntos ligados às cidades, como leis de ocupação do solo e programas de saúde preventiva, a entidade adotará outra logística, com menos atividades presenciais e mais aulas a distância.

O Agora!, que na origem não tinha a eleição de novatos como meta, vê em 2019 a chance de retomar seu espírito inicial. O movimento foi criado para estimular políticas de sustentabilidade e combate à desigualdade.

A ideia no momento é consolidar a plataforma como "um centro de boas ideias e práticas inovadoras", afirma o cientista político Leandro Machado, fundador e porta-voz.

O grupo lançou durante a campanha eleitoral uma agenda com 130 propostas para áreas como segurança pública, economia, educação e saúde. Pretende, daqui para a frente, trabalhar para aprofundar as sugestões e, principalmente, executá-las.         (Folhapress)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.