Header Ads

Ricardo Vélez é demitido do MEC; economista assume

Ricardo Vélez deixa o comando do MEC depois de uma
crise que causou uma sequência de demissões na pasta.
FOTO: Marcello Casal Jr
O presidente Jair Bolsonaro anunciou, nesta segunda-feira (8), através das redes sociais, a demissão de Ricardo Vélez Rodríguez. O ministério da Educação (MEC) passa a ser comandado pelo economista Abraham Weintraub.

Na última sexta-feira (5), Bolsonaro já havia anunciado a possível demissão de Vélez. "Está bastante claro de que não está dando certo. Ele é bacana e honesto, mas está faltando gestão, que é coisa importantíssima", disse o presidente na ocasião.

Ainda na sexta-feira, ao saber das declarações de Bolsonaro, Ricardo Vélez afirmou que não entregaria o cargo.

No anúncio desta segunda, o presidente agradeceu Vélez "pelos serviços prestados".

O colombiano naturalizado brasileiro enfrentava problemas desde o início de sua gestão e a crise foi agravada nas últimas semanas. Pelo menos 14 funcionários foram demitidos de cargos importantes no ministério.

No lugar de Vélez, o MEC passa a ser comandado por Abraham Weintraub. O economista fez parte da equipe de transição do novo governo e, desde a posse, trabalhava na secretaria executiva da Casa Civil, sob o comando do atual chefe da pasta, Onyx Lorenzoni.

Prestes a completar 100 dias, Ricardo Vélez é o segundo ministro a cair no governo Bolsonaro. Gustavo Bebianno deixou a Secretaria-Geral da Presidência no dia 18 de fevereiro após ser alvo suspeitas de irregularidades em campanhas do PSL e envolvido em rusgas com um dos filhos do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ).    (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.