Header Ads

Mulher completa hoje 114 anos em Juazeiro e pode ser a mais idosa do mundo


Dona Julia completa 114 anos nesta segunda-feira. FOTO: Guto Vital-Agência Miséria
Nesta segunda-feira a aposentada Julia Amélia da Conceição completa 114 anos de idade e pode até ser a mulher mais idosa do mundo. É que, no último dia 22 de julho, morreu aos 117 anos a japonesa Chiyo Miyako apontada como a mais velha do mundo pelo Guinness Book. Esta tinha nascido no dia 2 de maio de 1901 na cidade de Wakayama, na região de Kansai a uma distância de 103 Km para Kyoto. O homem mais velho domundo é, também, japonês: Masazo Nonaka com 113 anos.

Já a mulher mais longeva da história mundial foi Jeanne Louise Calment, da França, que morreu com 122 anos. Ela nasceu em 1875 e faleceu em 1997. No caso da juazeirense, recentemente, ela passou a residir na Rua São Benedito 1614 no bairro Franciscanos. A mesma vive deitada a maior parte do tempo e até diz que a saúde está boa. “Só em a gente estar viva”, acrescenta. Logo cedo, Dona Julia toma café com leite e bolacha até a hora do almoço quando lhe servem uma canja.

Um pouco mais tarde, um suco de maça ou mamão encerrando as refeições do dia com um mingau. O prato predileto dela era galinha caipira com pirão, mas isso ficou apenas na saudade. Neste domingo, ela saiu de casa para almoçar na residência de um parente após receber a reportagem. Uma coisa que a deixava feliz era frequentar a igreja, principalmente aos domingos, porém não é mais possível e raramente sai de casa.

Anualmente, é obrigada pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a fazer a “Prova de Vida” e tem que se apresentar no órgão na Rua Santa Luzia no centro de Juazeiro com muitas dificuldades. Dona Julia nasceu no dia 20 de maio de 1905 no município de Santana do Ipanema (AL) e quase já não enxerga e nem escuta direito, além de reclamar dores nas pernas e enfrentar dificuldades até para dormir.

Identidade de Dona Júlia. FOTO: Reprodução
Por conta desse quadro, a única comemoração pelos seus 114 anos foi um bolo e o canto de parabéns antecipado neste domingo. Ela costumava recordar com orgulho o fato de ter se ajoelhado por algumas vezes diante do Padre Cícero para pedir a benção e tocar a batina do sacerdote. Dona Julia veio residir com os seus pais em Juazeiro no mês de fevereiro de 1925 todos movidos pela fé no “Padim”.

Na época tinha apenas 20 anos de idade e Juazeiro se preparava para comemorar 14 anos de emancipação política. Além disso, Padre Cícero ainda viveria mais oito anos pela frente e, por diversas vezes, esta romeira alagoana esteve na casa do sacerdote a qual, como lembrava, era sempre repleta de fiéis. A mesma também recorda o triste dia que foi o da morte do “Padim”.           (Fonte: Site Miséria)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.