Header Ads

Eleição para conselheiro tutelar em Pentecoste foi 'corrida eleitoral antecipada', denuncia MP

Eleição para conselheiro tutelar em Pentecoste foi 'corrida
eleitoral antecipada', denuncia MP
O Ministério Público do Ceará (MPCE) pediu nesta quinta-feira (10) ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica) a impugnação da candidatura de cinco participantes da eleição para vagas de conselheiro tutelar de Pentecoste, município a 92 quilômetros de Fortaleza.

De acordo com o promotor de Justiça Jairo Pereira Pequeno Neto, autor do pedido de impugnação, os candidatos foram eleitos com apoio de políticos, o que contraria as regras de escolha dos conselheiros tutelares. A eleição para o Conselho Tutelar ocorreu no domingo (6) em todo o país.

Segundo Jairo Pereira Pequeno Neto, a eleição do Conselho Tutelar de Pentecoste foi “uma verdadeira corrida eleitoral antecipada, uma vez que políticos apoiaram diretamente alguns candidatos, utilizando-se da eleição do Conselho como forma de demonstração de força política no município”.

Para ele, os concorrentes com pedido de impugnação concorreram à vaga em condições desonestas.

Influência política
Das candidatas com o pedido de impugnação, três foram eleitas, enquanto duas ficaram como suplentes. As candidatas Patrícia do Tiago e Diene do Deca são esposas de vereadores e ocuparam, respectivamente, a segunda e terceira colocação na lista do resultado final divulgado pelo Comdica, de um total de 7.654 votos apurados em 24 urnas.

A candidata Diene do Deca teve um assessor do esposo vereador a sua disposição, durante toda a campanha.

Em sessão realizada na Câmara de Vereadores, no dia seguinte à eleição, "alguns parlamentares deixaram claro que apoiaram diretamente determinados candidatos". As regras para eleição de conselheiro tutelar e o cargo político de vereador proíbem a aliança político-partidária das candidaturas, através de indicação, e proíbem manifestação de qualquer tipo de apoio político aos candidatos a conselheiro tutelar.

A segunda colocada, Patrícia do Tiago, recebeu apoio do marido, que é vereador, e de um deputado, conforme divulgado nas redes sociais. Já Carol Leite, irmã do presidente da Câmara Municipal de Pentecoste, conseguiu apoio de, pelo menos, outros três políticos, e ficou na quarta colocação. Ela obteve 300 votos em uma única seção.

Durante sessão da Câmara Municipal posterior às eleições para o Conselho Tutelar, o vereador Manoel Forte declarou apoio à candidata Carol Leite. Ele afirmou que possuía voto e força política, "ao contrário de muita gente que só fazia barulho, mas que não tinha voto para preencher uma cartela de bingo".                    (G1 CE)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.