Header Ads

Manchas de petróleo cru chegam ao litoral de Icapuí

A Praia de Barreiras, no Município de Icapuí, foi a primeira a ser
atingida pelas manchas de óleo, na última segunda-feira (21).
FOTO: Gelton Duarte

Há pouco mais de 50 dias, diversos pontos do litoral dos nove estados nordestinos foram atingidos por uma mancha de petróleo cru cuja origem, até hoje, é desconhecida. No Ceará, pelo menos 15 praias já foram afetadas. Os registros mais recentes foram em Icapuí, no extremo leste do Estado. Na segunda-feira (21), o Instituto Municipal de Fiscalização e Licenciamento Ambiental (Imfla) confirmou a presença do resíduo na Praia de Barreiras. Ontem, outras duas praias também foram atingidas em escala menor: a de Redonda e Ponta Grossa. A Secretaria de Meio Ambiente do Estado (Sema), no entanto, só confirma a presença do óleo misterioso em Barreiras.

Nos dois primeiros dias desta semana, a Marinha recolheu, com o apoio de 60 militares e voluntários, 800 kg de óleo das areias do litoral icapuiense. Hoje, a Sema vai realizar um novo sobrevoo na região, com acompanhamento de navio da Marinha pelo mar, para identificar se as manchas podem atingir outras praias cearenses. "Estamos fiscalizando as áreas constantemente de forma a planejar ações de contenção ou limpeza", explicou Artur Bruno, secretário de Meio Ambiente do Estado.

De acordo com o coordenador do Sindicato dos Pescadores Artesanais de Icapuí, Tobias Soares, a mancha foi "detectada a 6 km da orla". "Os pescadores disseram, pelo rádio, que tem até tartaruga morta no mar", pontuou. O pescado que abastece restaurantes e mercantis da cidade, no entanto, ainda não foi afetado. "O que os pescadores trouxeram hoje está limpo. As gaiolas de pescas também não estavam manchadas", garantiu Tobias, que reside em frente à Praia de Redonda, fronteira com Ponta Grossa.

Corrente solidária
De acordo com o presidente do Imfla, João Paulo Rebouças, que também confirmou a presença das manchas de óleos nas praias de Icapuí, um comitê de gestão de crise foi formado para minimizar os impactos ambientais. Além dos oficiais da Marinhas e funcionários do Município, voluntários somaram força ao trabalho de limpeza da Praia de Barreiras, local onde concentrou a maior quantidade dos resíduos prejudiciais.                          (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.