Header Ads

Corpo de Gugu Liberato chega à Alesp, onde é velado nesta quinta

FOTO: Paulo Lopes
O corpo de Gugu Liberato chegou por volta das 10h25 desta quinta-feira (28) à Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), onde é velado. O apresentador morreu aos 60 anos na semana passada em Orlando, nos Estados Unidos. 

Acompanhada de helicópteros de escolta, a chegada do caixão à Alesp foi quieta e não gerou tumulto. A mãe do apresentador, dona Maria do Céu, 90, chegou de cadeira de rodas, e as filhas gêmeas, Marina e Sofia, além do filho mais velho, João, estavam no comboio do apresentador de Campinas (SP) até a Alesp.

O corpo havia chegado a São Paulo ainda na manhã desta quinta. O caixão foi levado para a Alesp em carro funerário fechado e com vidros escuros -os familiares são transportados dentro de uma van que faz parte do comboio. 

Num primeiro momento, o velório, realizado no salão principal da Alesp, esteve restrito a familiares e outras pessoas mais próximas. Já por volta de meio-dia, passou a ser aberto ao público e deverá seguir até as 10h de sexta (29) -a entrada popular será pelo Salão Monumental da Alesp. 

Depois do velório, o corpo de Gugu será levado em carro de bombeiros para o cemitério Gethsêmani, no Morumbi, na zona sul da capital, onde será sepultado no jazigo da família. Ele será enterrado no mesmo dia da morte de seu pai, Augusto Claudino Liberato, que morreu em decorrência de Alzheimer há exatos dez anos. 

Do lado de fora da Alesp, por volta das 8h, cerca de 50 pessoas já esperavam, mesmo debaixo de chuva, a chegada do corpo de Gugu para participarem do velório. 

Francisco de Assis, 62, também conhecido como "Palhaço Chupetinha", veio para homenagear seu ídolo, que o ajudou em um momento de dificuldade. "Eu já tive um bate-papo com ele [Gugu], ele me ajudou em uma ocasião há alguns anos atrás, e por isso vim fazer essa homenagem; cheguei a conhecer ele." 

O humorista conta que procurou Gugu na época em que ele estava no SBT e que ganhou dele uma passagem de ônibus. "Trouxe até o pintinho amarelinho, que foi o que deu grande sucesso para o Gugu. Acredito que só eu que vou aparecer com esse pintinho amarelinho. E, se for possível, vou pôr em cima do caixão." 

Emocionada, a gaúcha Carmita Rodrigues da Silva, 66, segurava seu guarda-chuva com uma mão e, com a outra, uma foto de Gugu, seu grande ídolo. "Eu gostava muito do programa dele. Vai ficar no meu coração. Chorei bastante, estou de luto." 

No local, comerciantes ambulantes também já estavam presentes, vendendo fotos, cartazes e faixas do apresentador. 

Gugu Liberato teve a morte confirmada no dia 22 de novembro, após passar dois dias internado. Ele sofreu um acidente doméstico e caiu de uma altura de quatro metros quando fazia um reparo no ar-condicionado do sótão da casa. 

Após a queda, os médicos constaram que o apresentador não apresentava mais atividade cerebral. A nota de falecimento não especificou a data exata da morte. Os familiares autorizaram a doação de todos os seus órgãos, o que deve beneficiar até 50 pessoas. O apresentador deixa a mulher, Rose Miriam, e três filhos: João Augusto, de 17 anos, e as gêmeas Marina e Sofia, de 15.                      (Folhapress)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.