Header Ads

Baixo nível: Cogerh suspende bombeamento do açude Orós para o Lima Campos

No passado, havia mais água para ser transferida do Orós
para Lima Campos. FOTO: Honório Barbosa
A Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh) suspendeu a transferência de água do açude Orós, o segundo maior do Estado, que acumula apenas 5,8% para o açude Lima Campos. A justificativa da Cogerh é o baixo volume do reservatório, que está na cota 180. O bombeamento por gravidade ocorre acima da cota 191. Nos últimos meses, houve bombeamento por meio do túnel de uma coluna de água de 11 metros. 

“Na cota 180 não dá mais para fazer o bombeamento porque a água fica muito distante, baixa, sem possibilidade de extensão de rede elétrica para acionar sistema de motores”, explica Anatarino Torres, da Cogerh, em Iguatu. 

A Cogerh informou que o Açude Lima Campos que acumula 4,3% terá condições de abastecer a cidade de Icó e localidades rurais até a próxima quadra chuvosa. 

O gerente da Cogerh, da Bacia do Salgado, Alberto Medeiros, reforçou que o açude Orós não tem mais condições (volume) para transferência de água.  “As duas bombas que são ligadas já estão puxando impurezas do fundo do açude de Orós, nos últimos 15 dias as bombas já entupiram devido à lama, lixo e restos de galões do fundo do açude”, explicou. 

“O volume que o açude de Lima Campos tem hoje dá para abastecer toda a cidade do Icó até o final do mês de julho 2020”, afirmou Alberto. 

Medeiros afirmou que já foram perfurados quase trinta poços e continuam sendo perfurados e instalados, sendo que alguns deles já foram entregues ao SAAE, como é o caso dos poços das comunidades do Cascudo, Sítio Canto e o Poço da Pedra. 

“Esses investimentos foram exatamente pra garantir o abastecimento dessas comunidades e reduzir o consumo do Açude Lima Campos”, finalizou Alberto Medeiros.

(Blog Diário Centro-Sul)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.