Header Ads

Ceará é o 3º estado do Brasil em quantidade de estudantes matriculados em tempo integral

FOTO: Yago Albuquerque
Um levantamento divulgado pelo Ministério da Educação, concluído no final de dezembro, aponta que das 1.532.278 matrículas no Estado em creches, pré-escolas, unidades de ensino fundamental e médio, 21,47% são em tempo integral, o que representa 329.044. Com os dados, o Ceará ocupa o 3º lugar no País em número de inscritos para este tipo de escola. A informação consta do Censo Escolar da Educação Básica 2019. 

Dentre os 26 estados do Brasil, apenas Paraíba e Piauí superam, em termos proporcionais, a quantidade de alunos cearenses matriculados em tempo integral. Na Paraíba, o percentual foi de 22,49%. No Piauí, eram 22,30% do total de alunos. 

A partir desta quinta-feira, até o próximo dia 8 de janeiro, em Fortaleza, inicia-se o período de matrículas para estudantes novatos da rede municipal de educação em 2020. Ao todo, cerca de 30 mil vagas são ofertadas entre as turmas do infantil 1 até a EJA. Já na rede estadual, as matrículas para novatos têm início em 6 de janeiro. 

Crescimento 
No Ceará, segundo o Censo Escolar, se comparado a 2018, o Estado, em números absolutos, registrou crescimento de matrículas em tempo integral em todos os níveis da educação básica da rede pública.

Nas creches (crianças de até 3 anos), a ampliação do acesso ao tempo integral foi tímida: em 2018, foram 31.672 matrículas em todo o Estado, número que chegou a 34.075 em 2019 (7,6% a mais). Em Fortaleza, também houve aumento: de 14.721 para 15.935 crianças matriculadas (+ 8,2%), conforme dados do Censo. 

A quantidade de alunos na pré-escola (crianças de 4 e 5 cinco anos), tanto parcial como integral, também registrou aumento: em 2018 foram 156.437 nas salas de aula em um turno; já em 2019, 162.951. Em Fortaleza, o número de matriculados na pré-escola parcial aumentou de 25.196, em 2018, para 27.127, no ano passado. Já na integral, eram 167 em 2018, ampliando para 276 em 2019. No Ensino Fundamental, o movimento foi o mesmo: queda do número de alunos cursando apenas um turno à medida em que tempo integral amplia as matrículas. 

Jovens e adultos 
O Censo também registrou a redução nas matrículas da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Os níveis fundamental e médio da EJA perderam juntos 4.442 matrículas de 2018 para 2019. Do total, a Capital registrou 983 estudantes a menos. 

Conforme a coordenadora de Avaliação e Desenvolvimento Escolar para Resultados de Aprendizagem da Secretaria da Educação do Ceará (Seduc), Kelem Freitas, a queda na EJA não significa uma redução na oferta e estaria relacionada ao trabalho de qualificação realizado entre os estudantes, que os mantém na idade certa, além das políticas de redução dos índices de abandono e evasão escolar.                        (G1 CE)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.