Header Ads

Polícia cumpre mandados em investigação sobre a morte do prefeito de Granjeiro


A Polícia Civil, cumpre nesta quinta-feira (9), mandados de prisão, busca e apreensão em uma investigação sobre a morte do prefeito da cidade de Granjeiro, na Região do Cariri, João Gregório Neto, conhecido como "João do Povo". Durante a ação, um veículo foi apreendido pelos agentes de segurança. Inicialmente, houve a informação sobre uma pessoa presa durante a ação, porém, o delegado que investiga o caso afirmou que, até às 9h20, nenhuma prisão havia sido realizada. 

Durante a operação desta manhã viaturas estiveram na casa do atual prefeito, Ticiano Tomé, onde mora com o pai, que também foi prefeito de Granjeiro, Vicente Tomé. Lá, a Polícia teria apreendido um veiculo S10 que supostamente foi usado para dar apoio ao crime.


FOTO: Normando Sóracles
Os mandados estão sendo cumpridos nos estados do Ceará e de Pernambuco. A operação desta manhã foi deflagrada contra suspeitos de participação na morte do prefeito da cidade, assassinado no dia 24 de dezembro. João do Povo foi morto a tiros enquanto caminhava próximo à parede do Açude Junco. 

Segundo a polícia, os materiais apreendidos pela policia estão sendo levados para a Delegacia Regional de Crato. A polícia conseguiu apreender o veículo que os suspeitos utilizaram para fornecer suporte ao crime.

Tiros pelas costas 
A polícia apurou com moradores na época do crime que um veículo foi visto se aproximando do gestor municipal. Logo depois, foram ouvidos pelo menos três disparos. A vítima foi atingida pelas costas. Moradores tentaram socorrer o prefeito, mas quando chegaram ao local ele já estava morto. 

João do Povo foi velado no dia 24 de dezembro e enterrado um dia depois na cidade de Várzea Alegre, interior do Ceará. À época do crime, o irmão do prefeito, Cícero Gregório, disse que a morte do gestor foi motivada por "briga política". 

"Acho que sim, coisa de política. Todo negócio dele era direito. Não tinha rixa com ninguém. Nunca brigou com ninguém. Isso aí só se for coisa de política", afirmou no dia 25 de dezembro.             (G1 CE)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.