Header Ads

'É unânime entre os governadores a necessidade de união nesse enfrentamento', diz governador do Ceará


Em transmissão ao vivo por rede social após reunião com outros governadores de todo o Brasil, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT) afirmou nesta quarta-feira (24) que há consenso entre os gestores estaduais a respeito do alinhamento no combate ao coronavírus no país. 

"É unânime entre os governadores a necessidade dessa união e dessa unidade nesse enfrentamento", disse Camilo. 

O governador do Ceará reforçou a necessidade em manter as medidas adotadas para impedir que a Covid-19 continue sendo transmitida. Afirmou também que as medidas de maior ou menor restrição são avaliadas diariamente. 

"Especialistas reafirmam a necessidade do isolamento social. Essa tem sido uma das principais medidas no mundo inteiro. Aqui no Ceará a gente continua trabalhando, primeiro para garantir a ampliação dos serviços de saúde. A importância que o estado adotou de testar o máximo possível a população. Especialistas dizem que possivelmente o motivo do Ceará ter esse número de casos confirmados é porque estamos fazendo muitos testes", disse. 

Até a fim da tarde desta quarta, o Ceará já tinha 211 casos de coronavírus confirmados, conforme a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). 

Pouco antes da transmissão, Camilo já havia se manifestado por meio do perfil no Twitter a respeito do modo de lidar com o atual contexto da pandemia no Brasil. "Este momento não cabe disputa partidária ou ideológica. É preciso serenidade, responsabilidade e alinhamento nas ações, que devem ser baseadas sempre em estudos científicos e em órgãos de comprovada reputação, como a OMS. Essa deve ser uma luta de todos". 

Anexos hospitalares 
Nesta terça-feira (24), Camilo Santana anunciou a construção de anexos nos hospitais César Cals, no Centro de Fortaleza, no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Bairro Papicu, e no Hospital do Coração, no Bairro Messejana. As estruturas, temporárias, vão ter 150 leitos no total - sendo 50 em cada unidade -, e vão funcionar como hospitais de campanha para receber pacientes infectados pelo coronavírus. 

"É provisória, mas toda com padrão de hospital, anexo, para gente pode aproveitar toda a estrutura do hospital, alimentação, respirador, profissionais mais especializados, facilitar a logística de funcionamento", disse Camilo.                         (G1 CE)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.