Header Ads

Governo do Estado cria edital voltado para cultura cearense com investimento de R$1 milhão


O governo estadual, por meio da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), anunciou a realização do “Festival Cultura DendiCasa: Arte de Casa para o Mundo”.  O edital do projeto será publicado na próxima sexta-feira (27) e visa oferecer entretenimento à população que se encontra em quarentena. Outra demanda em caráter emergencial é atender trabalhadores da cultura afetados pela pandemia do novo coronavírus. 

Será selecionado um total de 400 propostas. Os conteúdos artísticos vão compor programação que será transmitida via plataformas digitais. A expectativa é reunir as mais variadas linguagens. Os trabalhos serão destinados a diferentes públicos, obedecendo a faixa etária de cada iniciativa. O investimento será de R$ 1 milhão e advém do Fundo Estadual de Cultura (FEC). 

Podem participar deste credenciamento materiais inéditos, em desenvolvimento ou já realizados em quaisquer outras plataformas. Sejam físicas ou digitais, veiculados ou não nas mídias sociais. Um dado inicial é que os materiais produzidos podem ter duração adequada à proposta artística. Podem ter duração mínima de um minuto ou o máximo de 60 minutos.

O secretário estadual de cultura, Fabiano dos Santos Piúba, adiantou que um dos princípios desse edital é ser dinâmico e facilitar o credenciamento dos proponentes. “Pensamos que seja o mais simples possível. Tanto na entrada quanto durante a inscrição, que seja de uma forma muito rápida para que os artistas possam apresentar suas proposições”, explicou o gestor. 

CONTEÚDOS 
As propostas poderão contemplar trabalhos experimentais ou tradicionais, performances e intervenções artísticas; transversais ou específicas em suas linguagens e expressões, oferecendo  ao público uma programação plural, ampliando as possibilidades de produção artística e fruição existentes no estado do Ceará, o que inclui projetos culturais que promovam a preservação da memória, inovação, promoção do conhecimento, pesquisa e valorização de diferentes linguagens artísticas e expressões culturais. 

“É um tempo de recolhimento, mas não de solidão. É de solidariedade. A arte tem papel simbólico. Uma programação cultural vinculada aos nossos, tem função social de gerar economia”, descreve o titular da pasta. 

CONTEXTO 
Medidas de segurança voltadas ao combate da proliferação do vírus atingiram severamente o setor econômico cultural. Com o fechamento de equipamentos voltados ao lazer e entretenimento, shows, apresentações, exposições, peças, entre outras atrações protagonizadas pelo setor, foram canceladas ou prontamente adiadas. 

Com isso, toda uma cadeia profissional que inclui produtores, artistas, técnicos, entre outros trabalhadores se viu impactada direta ou indiretamente. O edital atende uma série de demandas da classe artística local. 

Na primeira semana seguinte ao fechamento dos equipamentos culturais, artistas se mobilizaram na tentativa de alertar as iniciativas públicas e privadas. Duas cartas foram produzidas, respectivamente, pelo Fórum Cearense de Teatro e movimento #TodosPelaCulturaCE. 

Em ambos os documentos, os trabalhadores da área pediam soluções e destacavam propostas. Entre as sugestões apontadas, consistia a realização e propagação de trabalhos artísticos para a população via internet. Além da Secult, os textos foram direcionados à Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (Secultfor), Ministério Público do Estado do Ceará, bem como as comissões de desporto, educação e cultura das três esferas governamentais. 

Ainda no sábado, a Comissão de Direitos Culturais da OAB/CE (CDCult) manifestou-se acerca dos impactos da pandemia no mercado cultural cearense. A nota ressaltou que a grande maioria destes trabalhadores são autônomos ou “atuam em entidades sem fins lucrativos, sendo que todos dependem de público para geração de renda”, alertou a comissão. 

Dentre as soluções apontadas consistiam em realização dos pagamentos de editais, cachês, contratos de serviço que estavam em aberto até antes da quarentena. A realização de edital para apresentações culturais via plataformas digitais e redes sociais também foi mencionado. 

PELO BRASIL 
A iniciativa do governo cearense voltada aos trabalhadores da cultura segue uma tendência a nível nacional. Esforços semelhantes acontecem pelo País. Na quinta-feira (19), a Secretária Especial da Cultura, Regina Duarte, reuniu-se por videoconferência com secretários de cultura. Em pauta um diagnóstico sobre os impactos causados pela pandemia no Setor Cultural. 

No primeiro encontro da secretária recém empossada com os dirigentes de estaduais, o discurso foi de “diálogo aberto e prontidão”. Entre as propostas discutidas, o grupo analisou o exemplo do Pará. A secretaria de cultura paraense lançou o credenciamento para o "Festival Te Aquieta em Casa". A premissa é selecionar 120 conteúdos artísticos e culturais digitais das mais variadas expressões. Os contemplados serão remunerados com um valor de R$ 1.500 e terão os trabalhos divulgados nas redes da secretaria.                                (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.