Header Ads

UFCA doa mais de 4 mil máscaras para unidades de saúde em 12 municípios cearenses

FOTO: Thiago Bessa
A Universidade Federal do Cariri (UFCA) – por meio da iniciativa e participação de professores e de técnicos dos cursos de Engenharia de Materiais, de Design, de Ciência da Computação e também dos Laboratórios de Calçados e Polímeros, além do apoio e do acompanhamento da Reitoria e do Comitê Interno de Enfrentamento à Covid-19 (Cieco-19/UFCA) – doou, até esta quarta-feira, 22 de abril de 2020, 4.336 protetores faciais (face shields) para unidades de saúde em 12 municípios cearenses. As entregas começaram a ser feitas pela UFCA no último dia 8 de abril. 

Os protetores faciais, conhecidos como face shields, são equipamentos utilizados por pessoas que desempenham atividades expostas a aerossóis ou gotículas, como é o caso de profissionais de saúde que atendem pacientes que podem ter contraído Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. 

Até o momento, foram atendidas demandas de Fortaleza (1000), Juazeiro do Norte (1990), Barbalha (185), Crato (261),  Brejo Santo (200), Missão Velha (100), Caririaçu (100), Aurora (100), Barro (100), Solonópole (50), Jaguaretama (50) e Várzea Alegre (200). No final desta semana, os municípios de Jati, Orós, Milagres, Irapuan Pinheiro e Juazeiro do Norte receberão outras 900 máscaras no total. Ou seja, até o fim de semana, a UFCA tem a expectativa de doar 5236 máscaras, ao todo.

As doações mais significativas ocorreram em Juazeiro do Norte e em Fortaleza. No primeiro caso, a Universidade doou 1990 face shields para hospitais do município e secretarias da Prefeitura. Na manhã desta quarta-feira, 22 de abril, a Secretaria de Saúde de Juazeiro do Norte recebeu 1000 protetores faciais, e a Secretaria de Desenvolvimento Social e Trabalho ganhou outros 100 equipamentos. Ainda está previsto para a Secretaria de Saúde do município receber outras 500 máscaras. 

Em Fortaleza, profissionais de saúde do Complexo Hospitalar e do Centro de Desenvolvimento Familiar (Cedefam) da Universidade Federal do Ceará (UFC) receberam 1000 protetores faciais no último dia 20. O material das máscaras produzidas pela UFCA para a UFC veio a partir de uma contrapartida do Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais no Estado do Ceará (Sintufce). O Sintufce, de acordo com o chefe de gabinete da Reitoria da UFCA, Assis Nogueira, que tem acompanhado as doações, disponibilizou material para fazer cerca de três mil máscaras. 

Produção  
A produção das máscaras iniciou no começo do mês de abril (link para uma nova página), após esforços conjuntos de diversos grupos da UFCA, com o apoio de doações de matéria-prima e de suporte técnico dos parceiros (pessoas físicas, órgãos governamentais e empresas da região do Cariri).  

Entre esses parceiros, é possível destacar as Prefeituras de Caririaçu e de Juazeiro do Norte; a fabricante de produtos farmacêuticos Farmace, em Barbalha; o Sintufce; a indústria de calçados PVC (que cedeu o molde dos suportes das máscaras); e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai – Juazeiro do Norte), que disponibilizou um equipamento chamado balancim para fazer o corte do acetato (estrutura do protetor que cobre o rosto) de forma mais ágil, ampliando a capacidade de produção da Universidade. 

Apesar da agilidade na produção, que pode chegar a 1200 máscaras por dia, esse trabalho esbarra em um fator limitador: matéria-prima para confeccionar as face shields. A UFCA, caso busque comprar os insumos necessários para a confecção dos equipamentos, tem de seguir os ritos burocráticos exigidos na Administração Pública pela Lei 8.666/93 (Lei das Licitações).  

O texto prevê, no Artº 24, inciso quarto, que a licitação (processo de contratação de compras e de serviços da Administração Pública – que pode levar até 120 dias para ser concluído) é dispensável “nos casos de emergência ou de calamidade pública, quando caracterizada urgência de atendimento de situação que possa ocasionar prejuízo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços, equipamentos e outros bens, públicos ou particulares”.  

Mesmo assim, a Universidade dependeria do tempo da formalização de todo o processo e da oferta dos insumos no mercado, que estão escassos, devido à alta demanda por materiais usados na confecção de equipamentos de proteção individual (EPIs) para profissionais de saúde, no atual contexto de enfrentamento à Covid-19. 

Por esse motivo, a UFCA está cadastrando – junto à Fundação de Apoio a Serviços Técnicos, Ensino e Fomento de Pesquisas (Fastef), da Universidade Federal do Ceará (UFC) – um projeto de Extensão para receber doações de materiais ou de quantias em dinheiro para a compra da matéria-prima. Caberá à própria Fastef/UFC a compra dos materiais ou a destinação dos possíveis insumos doados. 

Doações e contrapartida 
Enquanto esses trâmites estão sendo resolvidos, o chefe de gabinete da UFCA, Assis Nogueira, explicou que as instituições que precisarem das máscaras podem continuar enviando ofício à Reitoria, informando a quantidade e a necessidade. Nesses casos, a Universidade sugere contrapartida em materiais, caso o demandante tenha condições de oferecer para contribuir com a confecção de mais máscaras. Ele ressaltou ainda que é importante estimar corretamente a demanda para que a UFCA possa ajudar o máximo de instituições possíveis.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.