Header Ads

Ceará volta a registrar taxa de contágio da Covid-19 superior a 1

FOTO: José Leomar
O Ceará, que na semana passada, teve a projeção da menor taxa de contágio da Covid-19 no Brasil, com índice de reprodução abaixo de 1, ou seja, naquele momento, em média, cada infectado no Estado estava transmitindo o vírus para menos de uma pessoa, voltou a ter o número estimado acima de 1. O monitoramento diário feito pelo grupo Covid-19 Analytics, que reúne engenheiros, economistas e cientistas de dados, aponta que o chamado número de reprodução - que determina o potencial de propagação do vírus - no Ceará, no dia 29 de maio estava em 1,32. Com isso, cada grupo de 10 cearenses contaminados pode transmitir para outras 13 pessoas. 

Neste domingo (31), véspera do início da fase de transição para a retomada das atividades econômicas no Estado - plano apresentado pelo Governo do Ceará - , o Estado chegou ao registro de 3.003 mortes em decorrência do novo coronavírus. O Estado tem 48.311 casos de Covid-19, sendo 23.598 em Fortaleza, epicentro da doença. Na capital já são 1.964 mortes por Covid-19. 

O grupo de pesquisadores Covid-19 Analytics produz informações sobre o impacto causado pelo coronavírus. Baseados em dados oficiais dos órgãos de saúde, eles divulgam diariamente projeções sobre a incidência da doença nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal.

O cálculo matemático para determinar a taxa de contágio leva em consideração dados diários sobre o tamanho da população, os casos confirmados, as mortes, os infectados e o número de recuperados. O número efetivo de reprodução, chamado "(R)", diz qual o potencial de propagação do vírus. Se maior que 1, cada paciente transmite a doença a, pelo menos, mais uma pessoa. Se menor do que 1, menos indivíduos se infectam. 

Na atual projeção, os estados de Pernambuco, Sergipe e Bahia tem situação mais estabilizada que o Ceará. No entanto, nenhum estado brasileiro está com taxa de contágio inferior a 1 considerada ideal para estabilizar a pandemia. No Brasil, a taxa de transmissão é estimada em 1,55.

Oscilação 
O grupo de pesquisadores, por meio de uma "nota de cautela" publicada, neste domingo, explica que "a divulgação de dados de novos casos do estado do Ceará está muito incerta. Apenas no dia 30/05, foram divulgados 8 mil novos casos em uma série que vinha apresentando valores inferiores à 600". Em nota, a Sesa já havia comunicado sábado (30) que o Ceará iria registrar ontem (30) um incremento de 20.668 novos resultados de testes que detectam mais 7.688 casos positivos de Covid-19. 

O grupo Covid-19 Analytics informa que os resultados continuarão a oscilar enquanto a divulgação de dados apresentar níveis altos de instabilidade. Mas ressalta que, apesar do incremento repentino no número de casos, "o mesmo problema parece não ocorrer com os dados sobre as mortes". "Aparentemente, o estado tinha um grande número de casos represados nos últimos dias que foram divulgados hoje. Este número fez com que a previsão para o Ceará fosse para 85 mil casos acumulados no dia 13/6 e levou o número de reprodução de patamares inferiores à 1 para 1,3", diz a nota. 

A Sesa ressalta que testagem em massa está sendo intensificada devido aos 200 mil testes rápidos adquiridos pelo Governo do Estado e distribuídos aos municípios. Além disso, reitera a ampliação da capacidade de testagem de RT-PCR, através da contratação de laboratórios privados pelo edital de chamamento público.                            (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.