Header Ads

Comerciantes furam lockdown, antecipam reabertura de lojas e geram aglomerações em Fortaleza

FOTO: Marcella de Lima
Após dois dias do lançamento do plano de retomada da economia pelo Governo do Estado, o centro de Messejana, em Fortaleza, já registrou aglomerações na manhã deste sábado (30). Estabelecimentos como lojas de brinquedo e de celular funcionam com porta meia aberta, e a feira informal tem boxes funcionando com a venda normal de bolsas, ferramentas e roupas. 

O Ceará registra 2.859 mortes acumuladas e 38.395 casos confirmados da Covid-19. Com o encerramento do “lockdown”, no domingo (31), o estado se prepara para o plano de retomada da economia a partir de junho, na segunda-feira (1º). No entanto, a ordem das autoridades é que o comércio não essencial siga fechado neste sábado. 

Na procura pela compra de peixes na tradicional feira de Messejana, também havia aglomeração de clientes. No entanto, já na feirinha de São Cristóvão, que costuma funcionar e agregar moradores da região, estava fechada neste sábado, com as estruturas dos boxes desmontadas no chão. 

Fiscalização
Segundo a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), responsável por fiscalizar feiras e aglomerações na cidade, 1.036 ações de prevenção e monitoramento serão realizadas entre os dias 8 e 28 de maio.

As operações incluem encerramentos de festas, apreensão de paredão de som, abordagens a estabelecimentos abertos irregularmente, fiscalizações a obras e abordagens com orientações em praças, orla, Centro e outros espaços públicos. 

Retomada
A partir da segunda-feira (1º), com previsão de finalização no dia 8 de junho, a projeto de reabertura das cadeias produtivas terá início. Haverá flexibilização para funcionamento de 17 segmentos do comércio, como barbearias e redes de transporte, enquanto os demais devem continuar seguindo as ações restritivas de segurança.

Porém, mesmo com a saída do isolamento social rígido, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, afirma que a reabertura não será um retorno imediato do normal. “Vamos continuar o estado de isolamento e é muito importante a população entender que só estamos conseguindo reduzir o número de casos e uma tendência de redução dos óbitos graças ao isolamento, que acontece desde março", aponta. 

O avanço dessa primeira fase de abertura dependerá dos critérios da ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), número de casos confirmados do novo coronavírus e índice de óbitos. Caso esses quesitos não apresentem tendências decrescentes, os processos de reabertura estacionam ou retrocedem em suas fases de reabertura.                 (G1 CE)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.