Header Ads

Cortejo simbólico do tradicional Pau da Bandeira em homenagem a Santo Antônio gera aglomeração em Barbalha


Um cortejo simbólico do Pau da Bandeira, em Barbalha, gerou aglomeração em alguns pontos da cidade neste domingo (31). Apesar do decreto de isolamento social determinado pelo Governo do Estado, moradores seguiram um carro de som que levava a bandeira de Santo Antônio para ser hasteada no mastro já erguido no ano passado. 

A intenção, segundo relatos da população, era fazer uma homenagem simbólica à tradicional Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio, reconhecida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Cultural Brasileiro, em 2015. 

“De manhã a gente fez a bênção da bandeira, e estava marcado para sair às 17h apenas o carro de som com a bandeira, e só. Mas o momento chamava a atenção, é um momento simbólico pra muitos devotos e carregadores de Barbalha. É uma maneira de a gente respeitar a nossa tradição e a nossa cultura”, conta Rildo Teles, que esteve à frente da comissão do cortejo.


FOTO: Toni Sousa
Durante o percurso do veículo, moradores seguiram a pé, em carros e em motocicletas até o local onde estava erguido o mastro utilizado na comemoração em 2019. Embora a maioria dos presentes estivesse utilizando máscaras, algumas pessoas foram vistas sem a proteção. 

“A gente se preocupa. No carro de som, falamos do uso das máscaras. Isso prova a nossa responsabilidade com os outros”, acrescenta Teles. 

Contaminação 
Em publicação feita no Instagram, o prefeito de Barbalha, Argemiro Sampaio, informou que o cortejo não foi de responsabilidade da Prefeitura e nem do próprio gestor. 

Em nota, a prefeitura lamentou o fato "no momento em que o município se esforça para conter o avanço da Covid". "A prefeitura reafirma a necessidade de que a população obedeça as normas de controle da doença, considerando o crescente número de infectados, o que pode provocar mortes", ressaltou a gestão. 

De acordo com a secretária da Saúde de Barbalha, Pollyanna Callou, os fiscais de Vigilância Sanitária não teriam condições de impedir a aglomeração uma vez que “poderiam ser agredidos, já que poderia haver pessoas sob influência de bebidas alcoólicas”. Ela destaca a preocupação com o avanço do coronavírus na cidade, e afirma que a aglomeração deste domingo pode aumentar o número de contaminados. Segundo a secretária, o reflexo do ocorrido será avaliado daqui a 15 dias. 

Até sexta-feira, data de divulgação do último boletim pela Secretaria da Saúde, Barbalha apresentava 63 casos confirmados da Covid-19, sendo 35 curados e 3 óbitos.

O G1 entrou em contato com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do estado (SSPDS) para questionar se a polícia esteve presente durante o ato para alertar a população. 

Em nota, a pasta estadual informa que "policiais militares lotados na 2ª Companhia do 2° Batalhão da Polícia Militar (2°Cia/2°BPM) do município de Barbalha receberam denúncias por meio de redes sociais de aglomeração de pessoas" no evento. 

"Após tomarem conhecimento do evento, os policiais foram ao local orientar as pessoas a voltarem para suas residências e respeitarem o isolamento social, medida de prevenção ao contágio e proliferação do novo coronavírus (Covid-19). As pessoas atenderam à solicitação dos policiais e esvaziaram o local onde ocorria o evento", informa a SSPDS.           (G1 CE)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.