Header Ads

Crato tem a quinta maior alta no número de infectados no Brasil em 14 dias

FOTO: Gazeta do Cariri
Enquanto algumas cidades e estados planejam a retomada da economia, outros se ajustam para dar um passo atrás e tentam manter as pessoas em casa. O programa Fantástico, da TV Globo, deste domingo (28), trouxe uma reportagem mostrando esse recuo de alguns municípios. Nesta reportagem, você confere um levantamento com um ranking que dá o panorama da situação nas cidades ao redor do Brasil na luta contra a Covid-19. 

Para ajudar você a entender a situação, a equipe selecionou a evolução de casos acumulados nos municípios com mais de 100 mil habitantes no país nos últimos 14 dias - com dados do Ministério da Saúde de 14 de junho até o último sábado (27). Esse período foi escolhido porque é o tempo que os especialistas afirmam ser necessário para que as medidas tomadas comecem a ter efeito. 

Entre as 10 cidades que mais sofrem com o aumento de casos, três ficam no estado de Goiás. E é justamente de lá que vem as duas primeiras colocadas - disparadas na liderança: Rio Verde e Itumbiara. Elas tiveram aumento de 850,36% e 595,24% (crescimento de 17 e 12 vezes), respectivamente. Em quinto lugar está o Crato, com aumento de 344,68% (crescimento de 6,89 vezes). Confira abaixo o ranking:

Dez cidades com maior aumento de casos em 14 dias



O Fantástico também levantou quais as cidades com o melhor desempenho nesse período, ou seja, que tiveram menor aumento em 14 dias nos casos acumulados de Covid-19. Nesse aspecto, a liderança fica por conta de Paço do Lumiar, no Maranhão. Outro dado que chama atenção é justamente que Maranhão e Pernambuco concentram a maioria dos municípios (oito), inclusive suas capitais. 

Dez cidades com menor aumento de casos de Covid-19 nos últimos 14 dias



Mesmo com o crescimento constante e com o anúncio de “lockdown” feito pelo prefeito Zé Ailton Brasil, no sábado (27), o decreto que entra em vigor a partir desta segunda-feira (29) na cidade permite a abertura de alguns setores como oficinas, igrejas, lojas de assistência técnica, indústrias e cabeleireiros. A abertura é permitida, mesmo diante do isolamento social rígido. 

Sendo assim, estão com abertura permitida os serviços essenciais: oficinas em geral e borracharias; templos, Igrejas e demais Instituições religiosas, para realização, exclusivamente, de aconselhamentos; lojas de assistência técnica e venda de acessórios de telefonia; indústria de químicos inorgânicos, plástico, borracha, solventes, celulose e papel; fabricação de calçados e produtos de couro, ferramentas, máquinas, tubos de aço, usinagem, tornearia e solda; recuperação de materiais nas atividades econômicas de saneamento e reciclagem; construção para barragens e estações de energia elétrica, geradores e obras de irrigação; indústria têxtil, de confecções e de redes; impressão de livros, material publicitário, e serviços de acabamento gráfico; indústria de artigos de escritório e manutenção industrial; fabricação de eletrodomésticos e artigos domésticos, de móveis e produtos de madeira, de equipamentos de informática; e indústria de veículos, de transporte e peças. 

Cabeleireiros, manicures e barbearias também tiveram autorização para abertura, assim como a cadeia da construção civil, incluindo o comércio da construção, no limite de 30% (trinta por cento) de sua capacidade operacional,

O comércio médico e ortopédico, assim como óticas, podologia e terapia ocupacional também podem seguir as atividades. 

As lojas e outros estabelecimentos comerciais classificados como não essenciais ou que não estejam previstos no decreto, poderão funcionar por meio de serviços de entrega (delivery), inclusive por aplicativo, sendo proibido, em qualquer caso, o atendimento presencia. 

O decreto ainda afirma que a circulação de pessoas é restrita a serviços essenciais ou deslocamento para os serviços autorizados, entre outros casos de extrema necessidade.

(Fantástico - TV Globo / Site Badalo)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.