Header Ads

Ministro do Desenvolvimento minimiza ausência de governadores e senadores em evento no Ceará

Ministro Rogério Marinho ao lado do presidente Jair Bolsonaro no evento de inauguração da transposição no Ceará. FOTO: PR
O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, atrelou à pandemia da Covid-19 a ausência de governadores e senadores do Nordeste durante a inauguração da chegada das águas do São Francisco ao Ceará nesta sexta-feira (26), em Penaforte. Ele falou ainda sobre as perspectivas de conclusão da obra e chegada das águas ao Rio Grande do Norte. 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não concedeu entrevista no local. Na barragem de Milagres, em Verdejante (PE), onde foi acionada a liberação das águas, Bolsonaro disse que a obra "é uma novela enorme que está chegando ao fim”. 

"Primeiro é importante colocar que estamos vivendo um momento de exceção, então compreendemos aqueles que por ventura entenderam que pode haver alguma dificuldade na sua locomoção para um local em que pode haver um ajuntamento de pessoas", afirmou Marinho.

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), no começo da manhã, disse nas redes sociais que visitaria a obra apenas após a pandemia. Na quinta-feira (25), ele se encontrou com o ministro Rogério Marinho, ocasião em que foi anunciada a liberação de R$ 53 milhões para obras do Cinturão das Águas, que transportará as águas de Jati ao açude Castanhão. 

"Pessoalmente fui convidar os governadores, fui tratar de obras hídricas importantes para os estados, mostrando a postura republicana do presidente da República. (...) Evidente que, em outros momentos, esse seria um evento em que estaria aqui cheio de populares, de pessoas e de autoridades", disse Marinho, ressaltando a presença de alguns deputado federais e estaduais no evento. 

Na segunda-feira, o ministro esteve com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara; com o governador da Paraíba, João Azevedo, na terça-feira; e na quarta-feira, com a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra.


"Compreendemos a postura dos que nao puderam vir, mas nós não queremos misturar essa questão da política partidária com a ação do Governo", ressaltou o ministro.

Entre os deputados, estiveram os federais Dr. Jaziel (PL), Capitão Wagner (Pros), Domingos Neto (PSD) e Danilo Forte (PSDB); os estaduais André Fernandes (PSL), Delegado Cavalcante (PSL) e Dra. Silvana (PL). O deputado federal Pedro Bezerra (PTB) e o pai, Arnon Bezerra (PTB), receberam Bolsonaro no aeroporto de Juazeiro do Norte. O deputado federal licenciado, Roberto Pessoa (PSDB), o ex-deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB) e a vereadora de Fortaleza Priscila Costa (PSC) também estiveram com o presidente. 

Transposição 
O ministro destacou ainda a importância da obra da Transposição para a segurança hídrica no Ceará. 

"Essa obra vai se 'linkar', a partir do reservatório, com o Cinturão das Águas do Ceará, que chegará ao Castanhão e ao Orós para dar segurança hídrica a toda a Região Metropolitana de Fortaleza, mais de quatro milhões de habitantes. Além disso, vai propiciar uma série de projetos no sentido de perenizar barragens e permitir programas de irrigação e desenvolvimento de vários usos diferenciados, desde a questão de tratamento e do esgotamento sanitário, à mineração, à própria agricultura, até dessedentar a população, trazer água para o uso comum e matar a sede das pessoas", afirmou. 

Segundo ele, a expectativa é de que, em meados de 2021, o Governo Federal anuncie a chegada da integração das águas ao estado do Rio Grande do Norte, quarto a ser beneficiado. Para isso, segundo ele, o Governo deve investir ainda em 2020 até 2021, cerca de R$ 2,8 bilhões em obras da Transposição.                          (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.