Header Ads

Alunos da rede municipal de ensino de Várzea Alegre terão aulas remotas a partir desta quinta-feira (9)

Gravação de aula remota em Várzea Alegre. FOTO: Marcos Filho
Em todo o Brasil, mas em particular na região Nordeste, os alunos da rede pública de ensino enfrentam dificuldades de acesso à internet para assistir às aulas remotas. Para tentar superar esse desafio, a Secretaria de Educação de Várzea Alegre definiu um modelo com aulas gravadas em vídeo e divulgadas nos canais de internet da Secretaria. 

O modelo será ofertado para alunos do ensino infantil até o 8º ano. Já para os estudantes do 9º ano, o último do ensino fundamental, será ao vivo, pela internet. A rede municipal de educação de Várzea Alegre tem mais de 6.200 alunos. 

O secretário de Educação de Várzea Alegre, Antônio Fernandes, disse que a plataforma escolhida, para os professores transmitirem as aulas foi o Google Meet. “As aulas contarão para a grade curricular dos alunos”, pontuou Fernandes. “É uma forma de salvar o ano letivo prejudicado pelos efeitos da pandemia do novo coronavírus”. O titular da pasta da Educação disse que houve planejamento para decidirem o formato de aulas virtuais. “Por trás dessas aulas há um grupo de professores capacitados, que estão dando suporte técnico e pedagógico”. 

A volta às aulas será na próxima quinta-feira (9).  Já com relação às aulas presenciais, Fernandes acredita que ainda não é o momento do retorno e que isso só acontecerá quando a situação da população que luta contra a pandemia estiver em melhores condições de segurança sanitária. 

Sobre as dificuldades que alguns alunos poderão ter para acessar os conteúdos dessas aulas, o secretário afirmou que isso foi discutido , mas que há condições de reunir a maior parte dos alunos – mais de 80%, com as aulas remotas. “Para aqueles, que de alguma forma tenham dificuldades, por exemplo, por conta da escassez de aparelhos celulares compatíveis ou de acesso à internet, a secretaria encontrará uma maneira de chegar até eles, com materiais impressos, por exemplo”, explicou. 

“Estamos acompanhando as normativas e medidas provisórias que norteiam a Educação, para que tudo seja feito dentro da legalidade e que seja possível encontrar uma forma de concluir o ano letivo de 2020, que já está prejudicado pedagogicamente”, pontuou Cristina Soares. “Sabemos que o projeto de aulas à distância é novo desafio e que trará dificuldades, mas haverá adaptação dos professores, dos alunos e das famílias”.                        (Blog Diário Centro-Sul)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.