Header Ads

Ceará terá novos hospitais de alta complexidade e concurso público, anuncia Camilo Santana


O governador Camilo Santana anunciou, na manhã desta sexta-feira (24), as primeiras ações da Fundação Regional de Saúde. Como atividades iniciais, a instituição planeja ampliar o atendimento hospitalar: a promessa é de que 5 unidades de alta complexidade estejam funcionando até o fim de 2022 em cinco macrorregiões, interior e Capital. Para isso, o gestor anunciou que em breve lançará um concurso público. 

Atualmente, o Ceará tem três grandes hospitais no interior: Hospital Regional do Norte (HRN), em Sobral; Hospital Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte; e Hospital do Sertão Central, em Quixeramobim. O plano do governo é concluir o Hospital Regional do Vale do Jaguaribe  - que está em obras - e o Hospital Universitário, em Fortaleza. 

"O Ceará foi divido em cinco macrorregiões de saúde. Cada macrorregião dessa, até o final do nosso governo, vai ter um hospital de alta complexidade, a universalização do Samu. A gente está chegando quase em 100%. Todos os municípios serão atendidos com o Samu 24h. Todas as ações têm esse objetivo que o cidadão não precise se deslocar 200km, 300km, 400km, para ser atendido com um procedimento de saúde. Isso que vai mudar a realidade da vida das pessoas", ressaltou Camilo Santana. Assista:



Ainda em transmissão pelo Facebook, o governador Camilo Santana destacou que será realizado um concurso público para entrada de profissionais de saúde na Fundação Regional de Saúde. "Em breve, vamos estar anunciando concurso público para esa Fundação. Serão profissionais selecionados publicamente para cumprir sua missão nos hospitais, nas policlínicas. Enfim, em toda estrutura de saúde publica do Estado do Ceará. Estamos dando passos importantes. Essa pandemia mostrou muitas cicatrizes de desigualdade". 

O concurso será para ocupar cargos na Capital e no Interior. A Secretaria de Saúde (Sesa) informou à reportagem que ainda está sendo preparado um cronograma de planejamento do certame. 

Sob a coordenação geral da Sesa, autoridade regulatória da qualidade de Saúde do Estado, a Fundação Regional de Saúde também terá como função apoiar os municípios na execução dos seus serviços regionais de saúde e a Comissão Intergestores Regional em sua governança interfederativa regional, uma vez que as regiões de saúde não possuem personalidade jurídica. 

Para isso, contará com unidades descentralizadas – as agências regionais de saúde – nas regiões de saúde do estado, para apoiar as atividades técnico-administrativas necessárias a boa atuação da região para garantia de serviços à população, com o apoio da Sesa como autoridade regulatória. 

A Fundação Regional de Saúde não será mantida pelo Estado, mas prestará serviço ao poder público mediante contrato, com autonomia para captar outras fontes de receitas.

(Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.