Header Ads

Polícia oferece 10 mil libras de recompensa por irmãos comparsas de britânico preso na Capital

Polícia busca informações sobre o paradeiro dos irmãos James e Barry Gillespie
A polícia britânica está oferecendo uma recompensa de 10 mil libras, cerca de R$ 66 mil, pelo paradeiro dos irmãos Gillespie. A dupla é suspeita de chefiar o grupo criminoso mais poderoso da Escócia. Um outro membro da quadrilha, identificado como James Joseph White, foi preso em um apartamento de luxo localizado em Fortaleza, no último mês de junho. 

A Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal) acredita que James e Barry Gillespie possam estar também em território cearense, mais precisamente em Fortaleza. No dia 19 de junho, data da prisão de White, a Polícia Federal disse que esperava ter encontrado os outros dois criminosos no apartamento. 

A reportagem entrou em contato com a Polícia Federal a fim de saber sobre o andamento da investigação e buscas pelos demais suspeitos. O órgão afirmou, por meio da assessoria de comunicação, que não iria se manifestar. 

Acusações 
Conforme noticiado pelo Diário do Nordeste, no início deste mês de julho, agentes da Interpol chegaram ao Ceará à procura dos irmãos. Desde a prisão de James os agentes ouvem pessoas ligadas ao grupo. As autoridades investigam o que teria motivado que o trio optasse por residir no Ceará e se pretendiam expandir as atuações no Brasil. Os estrangeiros são acusados de fundar um império multimilionário de tráfico de drogas e armas na Escócia. 

No dia da prisão de James White, os policiais apreenderam R$ 53 mil em espécie e um automóvel de luxo. A Polícia suspeitava que o criminoso estivesse armado, mas nenhuma arma de fogo foi encontrada na residência. 

O britânico preso tem extensa ficha criminal, incluindo homicídio, sequestros, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, tráfico de armas e explosivos. 

Ele permanece no Ceará e está recolhido no Centro de Triagem e Observação Criminológica (CTOC), na Região Metropolitana de Fortaleza.                             (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.