Header Ads

Primeiro dia de reabertura gradual do comércio gera aglomerações no Centro de Iguatu

Galeria Gustavo Correia, no Centro de Iguatu, na manhã
desta segunda-feira (6). FOTO: Wandenberg Belém
No primeiro dia de reabertura gradual de empresas dos setores do varejo, indústria e de serviços, o Centro de Iguatu, na região Centro-Sul do Ceará, registrou forte movimentação de moradores na manhã desta segunda-feira (6). Na segunda quinzena de junho, o Município chegou a registrar 100% de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o que fez com que a cidade entrasse em regime de lockdow por determinação municipal e do governo do Estado. 

Neste sábado (4), o governador Camilo Santana renovou o decreto de isolamento social rígido em sete cidades do Interior - dentre elas, Iguatu, medida que passa a valer hoje (6). A justificativa apresentada pelo governo estadual é o aumento do número de casos ao longo das duas últimas semanas. Outras cidades que permanecem em isolamento social rígido são: Sobral, Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Brejo Santo e Tianguá. 

Mesmo com o decreto estadual, o prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor, decidiu colocar o Município de volta à fase de transição para retomada econômica. Uma das justificativas é a redução na taxa de ocupação de leitos na cidade, hoje, mais confortável: 40% de ocupação, sendo 20% de moradores de Iguatu e outros 20% de pacientes oriundos de outras cidades da região, segundo informado pela Prefeitura.

Antônio Filho, secretário de Trânsito e Cidadania, que participou de reunião com lojistas e construtores na última sexta-feira (3), que reivindicaram a reabertura dos serviços essenciais, ressalta que a redução na ocupação dos leitos foi essencial para decisão de avançar na reabertura. “Reduzimos a ocupação de leitos de UTI e de enfermarias. Diante dessa situação, o prefeito decidiu retornar à fase de transição”, justificou. 

“Intensificamos a fiscalização e estamos orientando os consumidores e empresários”. 

Apesar disso, o secretário de Saúde de Iguatu, George Xavier, pede que a população colabore para que o Município possa avançar e reabrir outros empreendimentos. “Não há necessidade de aglomerações ou filas porque os estabelecimentos voltaram a funcionar em horário normal. Nós pedimos que as pessoas usem máscaras e mantenham o distanciamento recomendado”, ressalta.

Segundo o último boletim da Prefeitura, deste domingo (5), o Município registra 1.070 casos confirmados da doenças e 35 óbitos. Um total de 741 pessoas se recuperaram da Covid-19. Outras 16 seguem internadas. Conforme a Plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde (Sesa) do Ceará, o Município concentra uma taxa de transmissão de 1,13, o que significa que 10 pessoas podem transmitir a doença para outras 11. 

Segundo a Sesa, índices acima de 1 indicam uma "alta transmissão" da doença e que mais casos seguem sendo gerados. 

Lockdown 
Nos últimos 10 dias, Iguatu viveu regime de lockdown por determinações municipal e estadual. A decisão de fechar, em dias alternados, até mesmo os serviços essenciais (padarias, supermercados, mercearias, bancos, casas lotéricas e de reduzir horário de funcionamento de postos de gasolina), no entanto, também provocou aglomerações. 

Medidas 
Mesmo com o decreto estadual determinando o isolamento mais rígido, o prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor, colocou o Município na fase de transição. Com isso, houve autorização de funcionamento para atividades industriais com mão-de-obra variando entre 20% e 60%; serviços gráficos, médicos, odontológicos, fisioterapêuticos e oficinas com ocupação de trabalhadores entre 30% e 100%. 

Já o setor comercial tem o seguinte esquema: podem funcionar integralmente estabelecimentos de produtos ortopédicos, artigos óticos, produtos farmacêuticos, fitoterápicos e naturais, gêneros alimentícios; hortifrutigranjeiros e produtos veterinários; para a construção civil, a taxa é de 30%. Já a realização de feiras livres segue proibida.                                (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.