Header Ads

Família nega que ambulante que teve carro de frutas virado por PM tenha participado de crime


A família do vendedor ambulante João Vitor Silva Moreira, de 20 anos, que teve o carro de frutas derrubado por um policial militar, nega que ele tenha envolvimento em uma tentativa de homicídio, ocorrida em dezembro de 2019. Ele foi preso nesta sexta-feira (28), no bairro Aerolândia por força de um mandado de prisão preventiva expedido em abril deste ano. 

Um familiar do ambulante, que não quis se identificar, disse que os agentes foram até a casa onde o sobrinho se encontrava e o levaram para prestar depoimento sobre o caso envolvendo ele e o PM, entretanto ao chegar da delegacia foram informados do mandado de prisão.

"A polícia tem um vídeo, mas ele não aparece nas imagens. Ele está sendo apenas acusado. Nós procuramos a mãe dessa pessoa que sofreu a tentativa de homicídio e ela se colocou à disposição para ir com a gente para a delegacia. Como estão acusando ele se e nem a mãe da vítima o acusou?", disse. 

A mulher confirmou que quando menor, João Vitor teria "errado", mas que agora, adulto, estava tentando viver a vida de forma honesta trabalhando vendendo frutas. Ela questiona o fato de só agora encontraram esse mandado de prisão contra o sobrinho, após a repercussão do caso. 

"Ele já foi abordado várias vezes pela polícia em outras ocasiões e nunca havia sido notificado sobre o mandado de prisão. Por que esse mandado só veio aparecer agora depois desse acontecimento que repercutiu mundialmente? Ele errou quando era menor sim, mas agora ele estava trabalhando. Se a polícia quer abafar o caso, não podemos fazer nada", desabafou. 

Crime em 2019 
Conforme a Secretaria da Segurança Pública, o crime ocorreu em dezembro de 2019 e o mandado foi determinado em abril deste ano. 

"Ele é o terceiro preso do total de quatro pessoas, que foram indiciadas por participar da tentativa de homicídio contra um homem, no dia 11 de dezembro de 2019, em uma loja de som automotivo", afirma a Secretaria da Segurança, em nota. 

Ainda conforme a pasta, a vítima foi atingida por disparos de arma de fogo. "Em seguida, ele foi conduzido em estado grave para uma unidade de saúde na capital [Fortaleza], mas sobreviveu aos ferimentos." 

Conforme o secretário da Segurança, André Costa, João Vitor Silva Moreira, de 20 anos, além da tentativa de homicídio no ano passado, teve um mandado de apreensão prescrito por homicídio. 

"João tinha mandado de apreensão prescrito por homicídio consumado, quando o corpo foi carbonizado num trilho em junho de 2017", afirmou André Costa. 

O vídeo 
O vídeo em que o carrinho de João Vitor é derrubado por um policial militar se popularizou nas redes sociais nessa quinta-feira (27). O caso ocorreu na manhã desta quinta-feira (27), na Lagoa do Urubu, no Bairro Floresta, em Fortaleza. 

Após a divulgação das imagens, a SSPDS publicou nota informando que dois PMs foram afastados das suas funções em razão do caso. Nas imagens gravadas por uma testemunha, é possível ver o policial chutando e jogando no chão as frutas que estavam no carrinho do vendedor ambulante. A Secretaria não explicou a situação anterior ao vídeo que motivou a ação do policial. 

Também é possível ouvir o vendedor ambulante pedindo que o policial não derrube as mercadorias. “O senhor não pode fazer isso comigo não. O senhor está me prejudicando", grita o ambulante enquanto o policial joga as frutas no chão.                               (Fonte: Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.