Header Ads

Prejuízo com cancelamento de romarias em Juazeiro chega a R$ 580 milhões

FOTO: Antonio Rodrigues
O setor de Turismo, que apresenta movimentação considerável na economia regional, foi um dos mais atingidos com a pandemia de covid-19. Somente em Juazeiro do Norte, uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mensura prejuízo de R$ 580 milhões com o cancelamento de três romarias. Cinco meses depois do início da pandemia, o retorno gradativo do segmento é uma realidade que se aproxima. 

Júnior Feitosa, secretário de Turismo e Romaria de Juazeiro do Norte, conta que a pesquisa levantou informações sobre o perfil dos romeiros que visitam o Município. Origem, tipo de hospedagem, média de gastos e locais por onde circulam, fazem parte dos questionamentos presentes. Com tais informações, além de mensurar o impacto econômico, será possível fortalecer as ações e acolher melhor os romeiros futuramente. 

Sobre o plano de retomada, ele conta que as reuniões estão acontecendo de forma virtual. Representantes da Saúde, da Igreja, do Turismo, Bares e Restaurantes e hotelaria, ranchos e pousadas participam do processo. Como acredita o secretário, o atual momento é de fortalecer parcerias. Entre as já feitas estão aquelas com entidades como o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). 

Diante dos registros ocasionados pelo novo coronavírus e a situação que ela submeteu a população, o secretário enfatiza a importância da obediência às exigências dos órgãos de saúde para uma retomada segura. “Acredito que o turismo, apesar de todas essas dificuldades que vêm passando e ainda enfrentará pela frente, ressurgirá mais fortalecido, mais qualificado”, aspira Júnior Feitosa. 

Assim como em Juazeiro, o impacto financeiro em Crato também é uma realidade. Como destaca Carlos Eduardo, secretário municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico Sustentável, “os prejuízos são imensuráveis para o setor produtivo local”. Ele conta que, a cada semana, uma Comissão representativa realiza reuniões para discutir os planos de retomada. “Além dessas duas políticas municipais, trabalhamos em conjunto com o Sebrae, para facilitar o acesso ao crédito bancário pelas pequenas empresas. Em suma, precisamos garantir ao futuro turista que o Crato é um local seguro e, para isso, precisamos engajar toda a sociedade nesse grande movimento de segurança sanitária”, garante.

Conforme o secretário, o esperado é que ocorra uma retomada segura e sem retrocessos. “Esperamos, também, manter o Sistema de Saúde funcionando nas condições atuais, longe de sua capacidade máxima e, desta forma, garantindo o atendimento pleno, tanto aos doentes graves, como aqueles com sintomas moderados e leves”, finaliza. 

(Fonte: Jornal do Cariri)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.