Header Ads

Primeiro dia de visitas aos presídios no Ceará é marcado pela presença de pais emocionados

FOTO: Isaac Macêdo
A manhã deste sábado (29) foi de apreensão e angústia para os familiares dos detentos de 10 instituições prisionais do Ceará. Tomados por um misto de ansiedade, alívio e felicidade, pais, mães e irmãos dos presidiários puderam retomar as visitas, após cinco meses de paralisação provocada pelas restrições da pandemia do novo coronavírus. A medida, de início, vale para seis unidades prisionais em Itaitinga (CE), 2 em Aquiraz (CE), uma em Caucaia (CE) e outra em Fortim (CE). 

As visitas seguem neste domingo (30), de 8h até 12h, nos 10 presídios liberados. A lista das unidades prisionais aptas a receber os visitantes será atualizada a cada semana, no site da Secretaria da Administração Penitenciária do Estado (SAP).

Na entrada do Complexo Penitenciário Estadual Itaitinga II, idosos aguardavam seus parentes realizarem as visitas. Grupo de risco da covid-19, pais e mães de terceira idade não estão autorizados a ver os filhos pessoalmente. Cada visitante pode ter 20 minutos em contato com os presidiários. 

Mesmo sem entrar, a dona de casa Josenilda Lima, 61, moradora do Pici, em Fortaleza, decidiu esperar, da entrada do Complexo, a filha visitar o filho. "Se eu tivesse em casa, teria sido pior, ficava mais ansiosa. Se Deus quiser, vou saber uma boa notícia dele, que é um ser humano. Todos nós temos o direito de ter uma segunda chance", disse a mãe.

Durante os cinco meses de suspensão das visitas, Josenilda chegou a ficar sem comer e dormir. E quando soube do retorno da visitação, anunciada na última quarta (26), a dona de casa ficou ainda mais ansiosa. "Só quero que ele esteja bem, e não tenha sentido nada sobre o vírus. Se minha filha disser 'mãe, eu vi ele', já vai ser uma felicidade", ponderou ela. 

Tensão 
Seu Antônio Pereira da Silva, prático de navio, admite que não é fácil ter um filho preso. "Minha esposa entrou, e eu tô aqui no meio do sol, no sofrimento", comentava, sobre a tensão da espera pela visita. Durante o período sem visitas, ele não esconde como manteve uma preocupação contínua sobre o estado do filho - tanto em relação ao contágio do coronavírus, como pelos riscos de se viver confinado dentro da prisão. 

Com a retomada da visitação, Antônio se alegrou mais, mas sem perder o tom crítico sobre a responsabilidade social pela situação dos presidiários. "Realmente houve esse bom senso (da volta das visitas). Mas os presos estão aí dentro, cara, por culpa da própria sociedade. Que rouba a educação, a saúde. E fica gente cheia da grana, tudo numa boa, esnobando as pessoas", aponta. 

Normas 
O visitante deve usar máscara de proteção durante todo o tempo em que estiver dentro do presídio; e passará por higienização das mãos e verificação de temperatura, além de declarar que está apto para realizar a visita. Estão proibidas as entradas de crianças, gestantes, idosos e demais pessoas do grupo de risco para a Covid-19. 

A SAP detalha ainda que presos que se encontram no grupo de risco não podem receber visitas; e que o detento e o visitante devem permanecer a 1,5 metro de distância, sem contato físico. A Pasta liberou também a entrega de materiais aos internos, como água mineral, produtos de higiene e limpeza, além de vestuário, cama e banho.                        (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.